27 junho, 2016

Custa tanto ser do Porto nesta merda de país

Tiago Monteiro venceu, a selecção de futebol, vamos ver...

Se há gente que aprendi a perceber como funciona, e me teria feito milionário várias vezes se a observação se chamasse sorte, são esses "jornalistas" que por permissividade corporativa de outros jornalistas lhes mancham a reputação. 

Não é por gostar de futebol que me inibo de reconhecer o aproveitamento que dele fazem os media para influenciar o público. O futebol é o meu desporto favorito, mas não me tolda a mente. Quando ligo a televisão e vejo um jornalista a destacar com euforia os feitos desportivos de um atleta de outras modalidades, a primeira conclusão que retiro do atleta é esta: o gajo, ou a gaja, só podem ser benfiquistas... Raramente falha. É só aguardar um tempinho curto e logo ficámos a saber que o homem ou a mulher, são benfiquistas de berço, mesmo que pratiquem tenis, ou automobilismo... O contrário acontece com atletas que não alinhem pela merda desse clube. Ninguém abre a boca, e os jornais de Lisboa nem sequer reservam uma linha se o atleta for adepto do FCPorto. São uns verdadeiros democratas...

A selecção "portuguesa" de futebol está a ser - aliás como é costume naquela terra de saloios - a ser levada ao colo e colocada num pedestal antes mesmo de lá estar, e sem o mínimo respeito por equipas que consideram à partida fáceis e inferiores à nossa. Não vencemos à Islândia nem à Hungria e a sorte fez-nos chegar aos quartos de final eliminando a Croácia uma selecção, técnica e fisicamente mais forte. Duvido que tenhamos pedalada para a Polónia que tem um futebol muito pragmático e fisicamente poderoso muito semelhante ao alemão. Mas, veremos. Hostilizo completamente o excesso de fanfarronice e as victórias antecipadas. Não me revejo nesse portugusesismo bacôco, chamem-lhe a isso o que quiseram.

Mas, o que eu queria anunciar é uma notícia positiva e já concretizada, portanto motivo de alegria para os portugueses que não trabalham na televisão e têm capacidade para pensar pelas suas cabecinhas: ontem, Tiago Monteiro venceu a corrida principal da etapa da corrida de Vila Real (prova da WTCC) e a RTP - paga por todos nós - não reservou um segundo sequer a transmitir a notícia. Só deu futebol comentado...E não adianta que me digam que viram às tantas da madrugada um apontamento sobre o assunto, porque isso não muda nada, faz parte de uma estratégia hipócrita e mesquinha para arquivarem caso estas denúncias ganhem relevo para servir de contraditório... 

Só hoje, soube pelo JN o acontecimento. Não foi nada, mas Tiago Monteiro, que eu saiba, foi o único corredor português a subir ao pódio na fórmula um, e apesar disso nunca o trataram como aquele menino lisboeta que nunca lhe chegou aos calcanhares, e que me escuso a dizer o nome por uma questão de reciprocidade deontológica. 

Fosse Tiago Monteiro vermelho, ninguém aturava a parolada. É por estas e muitas como estas que não me orgulho desta portugalidade merdeira e xenófoba. 




11 comentários:

Anónimo disse...

Isto é um nojo de país é um nojo de gente uns cães raivosos. Em relação aos de lá de baixo que se lixe, mas estes parolos de cá de cima que arreiam as calças para agradar aos chefes de lá de baixo é que me irritam. Vê-se na selecção nacional que não joga nada, mas, as bestas das clubites agudas ao fazerem os comentários, só falam nos jogadores dos seus clubes que deviam jogar por isto ou por aquilo ou que jogaram muito bem, coisa que eu em alguns até me dá vontade de rir, mas o treinador o Betinho dos tiques lá lhe vai fazendo a vontade e depois é aquilo que se vê. Nojo só Nojo.

Abílio Costa

Rui Valente disse...

Ó cobardola ordinário, vai tu para o sítio que só tu conheces bem, como anónimo e cobarde assumido que és. Tem vergonha monstro!

Anónimo disse...

Deve de andar por aí algum vermelho, centralista ou alguém que acusou o toque ou talvez o tal pseuda/jornalista de palas com o papel e a caneta na albarda. Se o Tiago Monteiro fosse adepto do clube do regime era logo assunto de primeira pagina! Até por aqui se vê a mesquinhês destes anormais...

Abílio Costa.

marujo88 disse...

Por estas e por outras Scolarices é que eu me curei da seleção, se ganharem ganharam, a mim já nem me aquece nem arrefece, cada vez há mais moços de recados na RTP só servem para dizer sim ao chefe, eu falo na RTP porque é uma estação pública e devia ter mais respeito por todos os contribuintes. Infelizmente temos muita gente cá na terra que apoia estes oportunistas. O Porto Canal continua a fazer-se de morto.
Abraço
Manuel Moutinho

Rui Valente disse...

Abílio,

Eses anónimos ordinários, sempre que digo aquilo que eles não estão habituados a ouvir,porque estamos num país de gente hipócrita e completamente dominada pelos pasquineiros, recorrem ao insulto rasca e cobarde que é a única coisa que aprenderam na vida. Prefiro outro tipo de animais, como gatos, cães e até cobras...

Rui Valente disse...

Manuel Moutinho,

por que será que são tão poucos os portistas a verem o que toda a gente vê, e não tugem nem mugem? Como é que com portistas assim, acríticos e pouco interventivos, o país e o nosso clube pode ter futuro?

Um abraço

Anónimo disse...

Hábitos de 48 anos de fascismo não se apagam em 40 anos de democracia.

As mentalidades demoram gerações a mudar.

Infelizmente, quem como eu e o Rui Valente viveu esses tempos negros, já não terá oportunidade de ver o tempo novo que inevitavelmente chegará.

De qualquer modo, os meus parabéns e incentivo à luta que o RV, ingloriamente vem travando. Alguma semente, seguramente, ficará e crescerá.

jorgemrm disse...

Caro Rui Valente,
Infelizmente é a triste realidade. Mas ainda mais triste é o que Abílio Costa refere no seu primeiro comentário “os parolos cá de cima a baixarem as calças aos chefes lá de baixo “. É pura verdade! Vivi cerca de trinta anos em Lisboa e aquilo que mais me indignava eram esses mesmos parolos do Norte que ao aterrarem Lisboa ficavam logo deslumbrados com a corte do Império. Rapidamente esqueciam as suas origens e os interesses daqueles que representavam, apenas se lembravam deles na altura das eleições para lhes apanharem os votos. Depois disso a única preocupação é tudo fazer para agradar ao poder da corte e manter as mordomias. Não consigo digerir este comportamento da maioria dos políticos da nossa terra que me faz indignar mais que o tal centralismo da capital. Por razões familiares desloco-me com frequência a Barcelona e é difícil no regresso ao Porto não sentir uma enorme sensação de frustração. Como é diferente a atitude dos catalães em relação a Madrid. E como eu me sinto completamente identificado com essa mesma atitude. A satisfação com que vejo por todo lado as bandeiras nacionalistas da Catalunha é quase a mesma quando vejo a bandeira do FCPORTO. Infelizmente os tempos em que acreditei na regionalização já lá vão. Até chego ao ponto de sonhar com o impossível : O Norte a fundir-se com a Galiza e a declararem a independência. Se alguém se lembrasse disto e organizasse esse movimento lá estaria na primeira fila. Com a minha idade já pouco mais me resta para além da UTOPIA. Como não quero que a esperança morra antes de mim, quem sabe se um dia num futuro não muito distante não se reconstruirá o Condado de D. Henrique!? Caro Rui, as minhas desculpas por este desabafo mas não consegui conter. Espero que não esmoreça na luta que aqui tão galhardamente vem travando e da minha parte terá sempre apoio nesta causa tão nobre. As minhas cordiais saudações. Jorge Monteiro

Rui Valente disse...

Caro Jorge Monteiro,

infelizmente para nós, aqueles poucos que ainda resistem a esta colonização interna, onde "o resto do país" faz agora o papel dos negros das ex-colónias, sedados pelo nacional-benfiquismo, a Europa também está um caos, e não é só em termos económicos e sociais, é sobretudo em termos ideológicos.

Não há um só político que se aproveite. Todos se renderam aos Bancos e são eles que estão a destruir a Europa e todo o mundo de resto. Como nunca fomos um povo de grandes rasgos, é claro, vamos continuar a andar para trás, nesta pasmaceira onde o futebol é usado como opiómetro para adormecer esta gente sem fibra nem carácter e levá-los a acreditar num "orgulho" feito à medida para se sentirem importantes...

Até os catalães, em Espanha, estão a ser travados nos seus anseios legítimos de independência.Já muito conquistaram. É a região mais prospera de Espanha e isso ainda assusta Castela. Não tarda, vão andar todos à batatada até morrerem umas centenas para finalmente conquistarem a independencia.

Por cá, é o próprio centralismo que está a tratar de semear esse espírito separatista e de revolta no resto do país, pela irresponsabilidade de quem nos tem governado. Por mim, assinava de cruz, agora mesmo pela independência do Norte, mas convidava os que amam quem os escraviza a irem viver para a terra deles, não ficava cá nenhum. Esses nortenhos, das duas uma, ou são uns calhaus, ou resquícios de uma expulsão incompleta da moirama que ficou por Lisboa...Um nojo!

Anónimo disse...

isto é de um fanatismo tão grande e de uma falta de conhecimento histórico que me vou abster de tecer qualquer comentário.

o benfica faz de vós cegos.

vocês não são nortenhos nem tripeiros. são uns fanáticos portistas, para vocês só existe o Porto e o FC Porto.

Isso se verá quando a regionalização avançar, braga Guimarães e viana é que vão sofrer na pele à vossa conta.

Rui Valente disse...

Anónimo: na tua excelsa sabedoria, isto quer dizer: pessoa facilmente identificável, homem corajoso, frontal. Não?

Com que então nós somos fanáticos e uns nabos que desconhecem a história? Diz-me: tu conhece-la? Andaste sequer na escola? Como se fez o país e quem expandiu o território? Foi conquistado de sul para norte, na tua óptica, não? E os mouros eram fantasmas que só ocupavam o nosso cérebro de portistas fanáticos? Sabes o que é o centralismo, ou é para ti uma ficção de... fanáticos.

Não digas mais: és um benfiquista burro, nortenho ou não, a dar uma de intelectual. Fica sabendo: és nada! Ah, conheces uma porta famosa com o nº 18? Ou se te interessas por fruta?
Não percas mais tempo, aqui não comentas mais. Não és do meu país. És um resquício da mouraria. Põe o turbante e vai para Marrocos...