15 setembro, 2016

Acabem com esse vício de pôr as mãos na cabeça! Chutem mais, porra!


Detesto estes gestos, são sempre maus sinais
Não gosto de analisar os jogos do FCPorto sob o ponto de vista táctico. A táctica pode variar em função de cada jogo e da equipa adversária. É área do domínio exclusivo dos treinadores que a mim, enquanto espectador, não me entusiasma muito, embora seja naturalmente importante. Já a técnica individual e colectiva dos jogadores  e os seus movimentos, são uma área relativamente simples de avaliar por qualquer amador, dado aí residir a essência do espectáculo de futebol. 

Talvez seja por isso que prefiro o futebol prático e directo dos nórdicos, talvez tenha sido isso que me deixou pouco confortável com o tempo infinito que o FCPorto levou para marcar o 2º. golo que acabou por não acontecer e que daria à equipa outra tranquilidade na partida e uma margem de manobra maior para encarar o jogo com Leicester, em Inglaterra.

Depois, começa a ser fastidioso para mim (e talvez para muitos adeptos), dar sempre o benefício da dúvida aos treinadores novos em início de época, ora porque ainda não conhece bem os jogadores, ora porque estes não o conhecem a ele, nem o tipo de jogo que pretende implantar. É que foi com esta angustiante tolerância que acabamos o campeonato passado a jogar pior do que começamos, quando esperávamos exactamente o contrário. Se juntarmos a isso a total indiferença do Presidente pelo que andamos a passar há 3 anos para cá, e do que ele próprio precisava de fazer e não fez, que era defender com unhas e dentes o clube, a mistura é insuportável.

Uma coisa reconheço, para já, em Nuno Espírito Santo: ele mudou em pouco tempo (não totalmente é certo), aquela coisa chata e pastosa do passe para trás e para o lado que nem Peseiro teve talento para mudar. Mesmo assim, há coisas que não se percebem e que só os próprios treinadores saberão responder. Por exemplo, por que é que uma equipa a jogar em casa, a precisar de ganhar, teoricamente mais forte que o adversário, com o jogo empatado e com tempo suficiente para dar a volta, não consegue imprimir mais velocidade e objectividade ao jogo? Por que é que passam a bola devagar, devagarinho, sem intensidade, deixando avançar os ponteiros do relógio a um ritmo que só interessa ao adversário? Ok, foram os jogadores que decidiram assim. Então, qual é o papel do treinador nessas situações? Não terá meios de ordenar recados com o jogo a decorrer para fazer acelerar o jogo?  Não p e r c e b o!

Outra questão, ainda relacionada com a anterior, é execução das desmarcações, muito previsível, portanto, simples de contrariar pelos adversários. Ontem, os dinamarqueses tiveram todo o tempo do mundo para bloquear os movimentos de ataque portista porque foi sempre demasiado lento, com excepção dos últimos 10 minutos. A jogar assim em Inglaterra, não pontuamos sequer, e quando formos à Dinamarca não dou como certo um bom resultado. A parcimónia que os jogadores mostraram para chutar à baliza é de fazer irritar um morto! Por que é, por que terá de ser assim? Não haverá solução? O que é que se está a passar no nosso clube que agora só nos complica a vida? O que é que Sua Alteza Real, o senhor reverendíssimo Pinto da Costa pensará desta onda gigante e infinita de dificuldades que quando começam nunca mais acabam, ou quando acabam, rebentam?

Caro Nuno, foste jogador do Porto, não saberás o que é preciso fazer para dar fibra aos teus jogadores? Vá lá, prova-nos que és diferente dos outros, prova-nos que nem que seja por acaso, o Presidente ainda tem alguma serventia para o FCPorto.

Nota: A introduçãodo Brahimi pode resultar, mas pessoalmente penso que o homem não tem alma para jogar num clube com o FCPorto. É um jogador naturalmente triste, não acredito que passará a jogar para a equipa.


4 comentários:

Anónimo disse...

Empatar em casa não é mau é péssimo, embora reconheça que os Dinamarqueses não são aquela equipa que nos quiseram impingir ou seja de jogadores toscos, mas, o FCP a jogar em casa a cometer este pecado, é andar de cavalo para burro.

Eu não queria ir por aí, mas, o treinador foi o maior causador deste resultado (embora os jogadores pelo menos alguns contribuíssem, porque foram uma sombra daquilo que valem) mas o mister NES tem conhecer o adversário minimamente e fazer as alterações nem que seja aos 20 ou 30 minutos saber ler o jogo é meio caminho andado para um treinador.

Claro que não vai haver discurso do presidente, esse só fala nas vitorias, mas no final da época este senhor terá que dar o rosto se as coisas correrem mal.

Congratulo-me com a vitoria do Real Madrid e o empate dos turcos porque senão teria-mos nos pasquins do nacionalismo a pôr batoteiros da 2ª circular nos píncaros e o FCP o coitadinho do costume.

Abílio Costa.

Anónimo disse...

COSTA DO CASTELO
Na frente do ataque falta um matador o André Silva tem o seu tempo ainda é jovem, mas, não tenho duvida que vai ser um grande ponta de lança mas na verdade ainda não o é, o outro rapaz alto que o mister Nuno escolheu e o sr PC não conhecia, pode atrapalhar os defesas, mas, o André não aprende nada com ele.

Nos centrais pelos vistos o que veio de Braga ainda não se impôs e só ele não chega e os outros que lá estão de vez em quando metem as suas argoladas infantis acompanhados com um Casillas que ainda não me convenceu.

Deacon Blue disse...

Bom dia Rui,

Infelizmente e apesar de em alguns jogos a atitude da equipa estar a mudar para melhor, estamos a levar permanentemente com baldes de agua gelada, já nao é agua fria!

Comparemos o discurso do NES antes do jogo de ontem e a convicçao com que o fez, com a atitude efectiva da equipa ontem após o 1º golo.....

Gostei por exemplo do meio campo contra o Guimares, mas eis que ontem ele poem aquele flop de nome Herrera....pelo amor de deus....mas o que é preciso mais para perceber que aquilo nao é jogador para o Porto!!!

Mas a coisa nao fica por aqui e, comentarios que tive oportunidade ontem de escutar, a Liga dos Campeoes prepara-se para ser alterada e só as 4 maiores ligas vao ter 4 equipas com acesso directo!
Daqui a 2 anos, poderemos vir a ter acesso directo só do campeao e o 2º a 3 pre eliminatorias.

Tendo em linha de conta a situaçao actual do nosso clube, o futuro nao me parece portanto também ter nada de bom para nos dar.

Se pudesse tomar um comprimido para esquecer e deixar de sofrer com o futebol, tomava já!

Ando muito triste com isto tudo...

Abraço
DB









Rui Valente disse...

Há coisas que ocorrem no FCPorto que no passado seriam impensáveis.

Um só exemplo:

por muito relevo que tenha a figura do Casillas, não estou a ver o FCPorto das victórias a contratar um guarda-redes em fim de carreira e em manifesta perda de qualidade só por questões de marketing.

É uma manifestação novo-riquista que não acontecia no passado. Havia mais pragmatismo e humildade. Agora, até o Presidente me irrita. Aliás, é ele o responsável por tudo o que está agora a acontecer. Não fala nem para fora, nem para dentro do clube. Sente-se uma espécie de Rei Midas convencido que ainda tem a "magia" de transformar jogadores vulgares em craques, mas esse rei já não existe, auto-destruiu-se!