07 março, 2017

E se os portuenses boicotassem o JN?


O momento prova que esta é
uma notícia encomendada


Desde que a nova administração do JN tomou posse [em Outubro de 2014], cedo se percebeu que o único jornal sediado no Porto ia ser submetido a mais uma dose musculada de centralismo. Saiu Manuel Tavares, da Direcção, chegou um tal Afonso Camões, albicastrense de nascença e adepto benfiquista... Para liderar a administração entrou o advogado dos ricos, Proença de Carvalho, secundado por outros 6 administradores, cada qual, o mais irrelevante para a cidade do Porto. São quase todos economistas de profissão, refira-se... 

Já sei, que para as mentes centralistas, viciadas em mesquinhez e embustice, a origem e os gostos clubistas pouco importam, o que importa é a competência etc. e tal. A cassete não muda, mesmo que se lhes faça um desenho, mesmo que se lhes explique com factos que a tese da origem e das preferências clubistas nunca se aplica na capital quando se trata de optar pelo país real, dentro do qual consta o Porto... Os partners, são escolhidos a dedo, e os que destoam do tom e do gosto alfacinha, normalmente são gatinhos e gatinhas amestrados. Pacíficos...Como não são democratas, antes oportunistas, são incapazes de reconhecer a discriminação que nos fazem em pleno regime democrático (julgam eles), nem muito menos de se envergonhar com a política monopolizadora  e sectária que praticam. 

O Jornal de Notícias, nunca é demais repito-lo, foi fundado e sediado no Porto no século dezanove (1888), é um jornal do Porto e foi um dos mais lidos em todo o país sem precisar da ajuda de forasteiros mal intencionados. Como tal, é a nós portuenses, e não às elites da capital, que compete escolher o que queremos como informação. E, entre outras coisas, não queremos, nem a benfiquização, nem a lisboetização do jornal. Ponto. Por isso, escusam de encher de vermelho o interior do JN, ou de ressuscitar os fantasmas da violência sobre os árbitros só porque o FCPorto ameaça o Benfica de o fazer cair da liderança. A notícia de capa de hoje, só serve para lançar a confusão, para procurar reverter no FCPorto o ónus da culpa por uma situação de que tem sido vítima, e não carrasco. 

Se esta notícia fosse credível, não era agora que devia ser publicada mas sim desde as primeiras jornadas do campeonato, em que o Benfica foi despudoradamente ajudado pelas arbitragens, sem que o FCPorto abrisse a boca para reclamar. Tanto assim é, que os adeptos, entre os quais me incluo, se lamentaram pelo silêncio do Presidente portista. Aliás, esta pouca vergonha do colinho, não é de agora, já dura há 3 épocas, pelo menos! Como é que agora, ousam dar uma ideia contrária? E os senhores (bons) jornalistas do JN, acham bem esta vermelhização do nosso jornal? Se acham, então façam as malas e instalem-se em Lisboa, mas deixem-nos de vez porque não fazem cá falta nenhuma. Pelo contrário, estão a tornar-se um vírus, um cancro que dispensamos. 

PS-Li ontem, que iam ser despedidos vários jornalistas do Correio da Manhã. Querem a minha opinião? Deviam ficar todos na miséria, pela forma porca e prostituída como ganham a vida. Pergunto: é isso que querem fazer com o Jornal de Notícias? Se é, desejo-lhes a mesma sorte.       

Sem comentários: