21 janeiro, 2018

Novo alerta à navegação!


Bem diz o refrão, que " o seguro morreu de velho. Para quem não saiba o que quer dizer, significa que, quem não antecipa a tragédia arrisca-se a ser tomado por ela. Isto é tão popular que nem devia estar com estas explicações. Sucede que a actual liderança do FCPorto não nos dá garantias, tão repetidas têm sido as asneiras a par  do silêncio daquele que FOI um dos melhores dirigentes desportivos do mundo.  

Pela minha parte, não posso fazer mais do que recomendar aquilo que me parece prudente para defender o FCPorto de novos dissabores. Já se foram 4 campeonatos, e outros se poderão seguir se não arrepiarmos caminho na defesa do nosso clube. Deixar essa responsabilidade nas mãos de um simples director de comunicação, parece-me curto e altamente injusto para ele próprio, porque não só não representa a autoridade máxima do FCPorto, como pode deixar Franscisco J. Marques entregue a si próprio no caso de as investigações serem subtilmente boicotadas pelo próprio governo. Não é uma coisa impossível em Portugal, basta estar atento às reaccções do secretário de Estado dos Desportos e do próprio 1º Ministro para admitirmos essa possibilidade. Todos, incluindo o Presidente da República e os próprios partidos com assento parlamentar, parecem ter combinado um pacto de não agressão com o Benfica. É como se nada de relevante estivesse a acontecer. O tempo passa, e entretanto o FCPorto continua a ser altamente prejudicado pelos árbitros, com ou sem vídeos, porque não há máquina no mundo que faça sérios, os homens desonestos. Em Portugal o problema das arbitragens é a fraca têmpera dos árbitros, enquanto lá fora se ensaia o Vídeo Arbitro apenas para os ajudar a cometer menos erros. 

O FCPorto como principal vítima do VA, devia usar esse  poderoso facto para apresentar na Comissão Europeia uma queixa fundamentada nas inúmeras provas que dispõe (imagens e mails), e mesmo na cumplicidade do Governo, e da própria comunicação social, alegando estar em causa o próprio regime democrático. Argumentos não faltam. A começar pela irresponsabilidade do próprio Secretário do Desporto que, não só se demite dos seus deveres, como ainda esgrime oratórias mais próximas de um adversário que de uma verdadeira entidade do Estado, e independente. Em vez de um moderador, o FCPorto tem no Governo um adversário.

Ignoro até que ponto será possível apresentar directamente uma exposição deste tipo à UE, já que na UEFA a tendência é para confiar na palavra das estruturas desportivas da justiça, o que poderia atrasar ainda mais o processo. Em último caso nada se perderia com a divulgação deste escândalo às duas entidades (UE e UEFA), para obrigar o Governo a provar que existe. De outra maneira tudo vai continuar envolto num manto de silêncio e, o que é pior, de contra-informação (que é o que já estão a fazer com o caso da bancada no Estoril). Tudo isto, está a suceder como tenho vindo a alertar repetidamente, porque quanto mais confusões forem criadas, mais confusa se tornará a conclusão das investigações. Aos poucos, o Benfica vai-se aproximando da tabela da frente no Campeonato, e não havendo sinais de contenção nos favorecimentos dos árbitros, com o VE para ajudar os infractores e a ausência dele para prejudicar o FCPorto, corremos sérios riscos de sermos ultrapassados na classificação geral e de nos sabotarem mais um campeonato.

Para terminar, só acrescento isto: Pinto da Costa não terá qualquer desculpa se tal vier a acontecer ou se o processo acabar bloqueado. Confiar apenas nas instituições do Estado neste momento não é nada recomendável. Só podemos confiar na Polícia Judiciária do Porto e na Procuradora Geral da República (a tal que o PS quer empurrar para a rua...). Os resultados da investigação começam a tardar para a quantidade e a qualidade das provas que têm vindo a público, e que ninguém ainda foi capaz de testemunhar serem falsas, ou falseáveis. 

Com Universo Porto de Bancada, ou sem ele, os mafiosos continuam a provocar estragos em todas as frentes como se fossem as pessoas mais responsáveis do Mundo. E a Justiça tarda. E se tarda, não pode ser justa.



1 comentário:

Anónimo disse...

Eu já disse e volto a dizer, estes políticos, governantes e outra mixórdia que por aí andam estão de cocaras e prestam vassalagem a um caloteiro da banca de muito milhões, a um clube que funciona como uma máfia para atingir os seus objectivos sem olhar a meios.
A promiscuidade de entre governantes e o futebol está bem patente no camarote presidencial do benfica entre um primeiro ministro e ministro das finanças a fazerem de galheteiro a um analfabeto e perigoso dirigente, estamos num país de sem vergonhas.
Não tenho dúvida nenhuma que tudo andam a fazer para que este Cube não seja punido pela pirataria e vigarice que fez e faz ao futebol.
Do presidente do FCP nada a contar, pela idade e obsessão do poder, continua a viver à sombra da historia rica do passado que ele próprio também ajudou a construir.

Abílio Costa.