22 novembro, 2009

Vergonha

E agora monsieur Platini não fala, não diz nada? Para si já não há batota?

A sua França (que me merece todo o respeito) apurou-se para o Mundial 2010, graças

a um golo marcado com a ajuda da Mão de T.Henry e não ouvi V.Exa. falar de batota!!!

Existem 200 jogos de futebol que estão sob suspeita de manipulação e que saibamos

não consta, dessa lista, nenhuma equipa Portuguesa!

Afinal para si monsieur Platini, só o FCPorto é que “fez batota” e tanto lutou V.Exa. para

punir unilateralmente este Clube que venceu no campo os seus adversários!

O que se passou no França-Rep.Irlanda tem que ser analisado e revisto, porque isto

Não é FUTEBOL (quanto muito será ANDEBOL) caro suposto paladino da verdade!

Eu no seu lugar colocaria o lugar à disposição em prol da verdade desportiva! Ou então

Faça um grande favor ao FUTEBOL: DEMITA-SE!

Renato Oliveira

Porto

Obs.

Carta enviada pelo autor para o correio do leitor do JN

2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Meu caro Renato, o Platini esteve ligado às maiores trafulhices do futebol: no S.Etiénne recebia luvas por baixo da mesa e foi um escândalo com consequências gravíssimas para o clube francês. Na Juventos, nós somos as melhores testemunhas da pouca vergonha que foi a Taça das Taças em 1984, com o Prokop da antiga RDA a roubar descaradamente a melhor equipa em campo...

Um abraço

Anónimo disse...

Mais uma polémica estéril à boa maneira portuguesa

1) Por muito mau que fosse o relvado do estádio na Bósnia, pretender, de alguma forma, comparar esse relvado com esta espécie de pantanal onde a FPF pretendia realizar o jogo Oliveirense-FC Porto só pode ser uma brincadeira de mau gosto ou uma demonstração de completa desonestidade.

2) Com ou sem razão, a FPF protestou veementemente a decisão da FIFA de permitir a realização do jogo nesse mesmo relvado. Não se compreende que tenha, poucos dias depois, pretendido realizar um jogo da Taça de Portugal num verdadeiro pântano que estava visivelmente em muito piores condições do que o da Bósnia. Também não se compreende que a maioria dos portugueses tenha concordado com a posição da FPF em relação ao jogo do play-off e agora venha tomar uma posição completamente contrária em relação ao jogo da Taça de Portugal. Mudaram de ideias sobre o assunto dos relvados só porque agora é o FC Porto a protestar? A isso chama-se hipocrisia.

3) Além do relvado, a FPF protestou pelo facto da FIFA ter permitido que o estádio bósnio enchesse muito acima da sua capacidade máxima. Não se compreende que agora venha alegar que estavam reunidas todas as condições de segurança no estádio da Oliveirense quando era do conhecimento público que o clube tinha mandado retirar as cadeiras para duplicar a capacidade do estádio. E, acrescente-se mais uma vez, também não se compreende a mudança de opinião dos portugueses sobre esse assunto em tão poucos dias, em mais uma evidente demonstração de hipocrisia.

4) Qualquer pessoa com um par de olhos na cara e dois dedos de testa percebe que todo este imbróglio devia ter sido evitado pela FPF e que tal só aconteceu graças à incompetência e à hipocrisia de quem dirige o futebol português. Se existe alguém que merece ser criticado, esse é, obviamente, a FPF, e nunca os clubes intervenientes que acabaram por ser as principais vítimas desta situação.

5) Pretender, de alguma forma, lançar as culpas para cima de um dos clubes intervenientes quando este mesmo clube, com toda a legitimidade, se preocupou em chamar a atenção das entidades responsáveis para problemas que eram visíveis e óbvios aos olhos de toda a gente, não passa de uma demonstração de clubite aguda.

6) Mais do que clubite, a atitude atinge mesmo o fanatismo cego, absurdo e irracional, quando se pretende estabelecer uma ligação despropositada e sem qualquer nexo entre este caso e outros casos baseados em escutas telefónicas que, inclusivamente, já foram julgados com os resultados que se conhecem.

7) Por muito que isso custe a algumas pessoas que insistem em viver nos tempos em que a Justiça era feita na praça pública por multidões de escumalha enfurecida, os julgamentos são feitos por tribunais isentos e idóneos que decidem em função de factos comprovados e não de devaneios de gente histérica. Assim sendo, qualquer indivíduo que pretenda desrespeitar essas decisões levantando suspeições gratuítas sobre a seriedade das mesmas ou da legitimidade das leis em que se baseiam demonstra que não pretende verdadeiramente a aplicação da Justiça mas sim a manipulação da Verdade em função dos seus interesses mesquinhos e privados. E gente dessa, decididamente, não faz falta absolutamente nenhuma ao país.
"maisfutebol" (RM)