26 março, 2011

Irmãos improváveis ( II )

No meu post de ontem com o mesmo título, aparece a seguinte frase a propósito de LFV. " A fé inabalável na justiça e pureza da sua cruzada, fá.lo pensar que ficará na História (...)".
Esta frase, redigida de forma infeliz, trai o meu pensamento e por isso considero importante a presente rectificação.

O que se pretendia dizer é que LFV tem a fé de ser capaz de enganar o mundo através da sua política de falsidades, de mistificação e de desinformação, tentando levar as pessoas a pensar que as suas atitudes são justas, tomadas de boa fé, e que têm como única finalidade a "credibilização" do futebol.

Exactamente a mesma estratégia de Sócrates, que certamente tem a esperança que os resultados das próximas eleições o voltem a pôr à superfície. Na Irlanda, o partido responsável pelo descalabro económico foi duramente penalizado nas eleições. Como será em Portugal? Será que o crime ainda compensa? Será que os vendedores da banha de cobra ainda conservam todo o seu poder de persuasão? Esperemos pelas respostas nos próximos episódios...

1 comentário:

Anónimo disse...

O problema é, que quando um saír do escudo regime (protecção) vermelho vai preso.
O outro, também com + ou - os rabos de palha que tem não vai preso, porque tem muitos amigos, e bons... caso Vara! que com o país em banca rota, recebe indemnizações chorudas, e mesmo sem trabalhar, como se diz na gíria ganha balurdios.
Ó sr Prates, venha cá ver isto, e denúncie...

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO