25 março, 2011

Irmãos improváveis

Pode ser um pensamento disparatado, mas juro que a demissão de Sócrates fez-me lembrar outra das minhas embirrações : Luiz Filipe Vieira. Uma crispação crescente é visível nos dois campos, o político e o futebolístico, e em minha opinião esses dois personagens são os principais fautores de situações que tendem a agravar-se, que não se sabe onde pararão, e que são antagónicas de um civilizado confronto de ideias partidárias ou de simpatias clubísticas.

Sócrates é o detentor da verdade,o bom, o iluminado que conhece o único caminho que nos tirará da terrível situação em que estamos metidos e da qual ele não tem culpa alguma. Em todos estes anos de poder, ele fez tudo certo, o país seguia um rumo de sucesso, só que a malvada crise mundial tudo veio estragar. Sócrates governou de tal modo que estabeleceu novos e altíssimos padrões de comportamento moral e de idoneidade política.

LFV é o paladino da verdade desportiva e da transparência, com activo repúdio de tudo o que sejam sujas manobras exteriores ao rectângulo de jogo. Ele é o arcanjo pacificador que luta corajosamente contra a corrupção e os golpes sujos, personificados pelo grande Satã que é Pinto da Costa. A fé inabalável na justiça e pureza da sua cruzada, fá-lo pensar que ficará na História como o melhor presidente de sempre de um um clube desportivo.

De Sócrates já me livrei, espero que definitivamente.

O outro, o LFV, ainda cá anda, mas o seu tempo, mais cedo ou mais tarde, chegará ao fim. Espero ainda por cá estar quando, dissipado o escudo protector SLB, esse personagem tiver de prestar contas à Justiça. Estou seguro que, entretanto, Vale e Azevedo faz parte dos seus piores pesadelos.

ps Este último governo era formado pela mais incrível colecção de jarrões que jamais governou Portugal. A sua saída é pois um serviço público prestado ao país. Acho particularmente higiénica a desaparição do ministro da administração interna e do secretário de estado dos desportos.

1 comentário:

Anónimo disse...

Estes dois são provavelmente do mesmo ADN do "vale azevedo".
Rui, você tem razão quando faz tal comparação, são tão iguais, que até dava para fazer um par de brincos e oferecer Sra Angela Merkel... que acha!?

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO