08 abril, 2011

Será capaz o futuro Porto Canal de fazer a diferença?


É já do conhecimento público que o Director da TVI Porto, Júlio Magalhães, foi sondado pelo FCPorto para incorporar o futuro projecto do Porto Canal na qualidade de Director. É certo, que esta foi apenas uma primeira abordagem no sentido de auscultar a disponibilidade do jornalista. Mas, independentemente da decisão final, parece uma excelente escolha. Júlio Magalhães, disse hoje ao semanário Grande Porto estar aberto a conversações, desde que o convite envolvesse  um bom projecto...

Além de se ter mostrado satisfeito com a ideia, pelo facto de  o projecto contemplar a criação de um canal quase generalista a nível de informação geral, JM enfatizou [e bem] a questão orçamental bem como os custos elevados que este tipo de projectos comporta, para terem viabilidade. Até aqui, tudo bem. Agora, a única parte destas declarações que me deixa com a pulga atrás da orelha, é não ter bem a certeza do que é que Júlio Magalhães entende por um bom projecto. É aqui que entronca um problema comum a um grande número de jornalistas, isto é, descobrir o que estão dispostos a fazer sem correrem o risco de servirem o público alvo com um prato requentado em lugar de um prato novo... Passo a explicar.

Um bom projecto, na óptica de um jornalista, pode cingir-se à ganância das audiências a qualquer preço, como sucede nas televisões centralistas, o que nem sempre reflecte qualidade e  diversidade. Em Portugal, os canais generalistas,  não sabem inovar, limitam-se a concorrer entre si, copiando-se reciprocamente... É muito comum, estações diferentes, transmitirem ao mesmo tempo as mesmas notícias, e mesmo a programação só difere [ou nem isso] nos figurantes e nos adereços . Ora, sem pretender ser mais papista que o papa, não era este tipo de televisão que pessoalmente gostava de ver implantado no Porto Canal. O Porto e o Norte, carecem de mais e melhor. Não podem, nem devem, cometer o erro de copiar a medíocridade do que já se produz. Tendo em conta a importância  das audiências, convirá não cairmos no "clássico" mais do mesmo. Importa aqui relembrar, o triste fim da NTV que por ter sido lançada no mercado deficientemente estruturada, acabou sugada pelas goelas gananciosas da RTP centralista.

Em primeira análise, o lado mais interessante da iniciativa, é o facto de não pretender confinar o novo Canal à área metropolitana do Porto, embora, como pioneira do projecto que é, lhe seja dedicado mais amplo destaque. O que importa, é que cubra todo o Norte do país, do litoral ao interior, o mais abrangente possível, de modo a tornar-se em pouco tempo, a voz e os olhos, de todos os nortenhos. No fundo, trata-se de fazer aquilo que nenhum dos canais generalistas existentes fez até hoje. O  mercado do Porto Canal será esse, só pode ser esse, e não aquele outro, falido e subserviente, que prometia janelas viradas para "mundos" cujos destinos já todos sabemos onde iam parar: a Lisboa... 

Esperemos então, que Júlio Magalhães traga ideias novas, e tenha pensado no assunto com a especificidade e atenção que o Porto e o Norte em geral, merecem e precisam.

3 comentários:

victor sousa disse...

desde que me conheço, sempre verifiquei que delegações, comissões, e outras feitorias, nunca serão do interesse das Regiões onde se implantem.
A começar logo pelos "dirigentes", que usualmente são comissários do Poder Central.
De modo que este projecto tem tudo para triunfar. Primeiro por que é totalmente independente dos centralistas. Depois porque tem gente, e não estou a ver onde esta é diferente de outras. Nem quantativamente...

Irá ser alvo de ataques? Nada a que não estejamos habituados, logo caldeados por longos anos de colonização.

dragao vila pouca disse...

Rui, espero que o Porto Canal não seja nunca uma pimbalhada como a Benfica Tv, mas também não queira ser mais papista que o papa. Querer agradar aos de lá de baixo, ser um canal nacional, é o primeiro passo para o insucesso.

Não tenhamos medo de ser como somos, não tenhamos medo de queimar os dedinhos, como está bom de ver, vale a pena.

ABRAÇO

Anónimo disse...

O Julio Magalhães, é o director certo pelo grande conhecimento que tem em televisão.

Um canal que seja a voz do FCP e também da cidade e do Norte.

Não queremos um canal igual aos dos Lampiões: pimba e arruaceiro.

Este Porto Canal tem pernas para andar, haja vontande e bom senso e gente capaz.

O PORTO È GRANDE VIVA O PORTO.