02 outubro, 2009

Rios e Rio[s]

Rios e Rios
Há rios em que se mergulha
de olhos fechados e de corpo e alma!
Entretanto há outros,
em que só se molha a ponta dos pés...
Neli Araujo
Simples [como é seu hábito] e providencial, este pequeno poema da nossa simpática amiga de S. Paulo.
Nós no Porto conhecemos um rio [e que a Neli felizmente não conhece] em que nem os pés se devem molhar... Não é o Douro, não.

5 comentários:

Anónimo disse...

Há quem prefira a "gamela"

Rui Valente disse...

É, há gostos para tudo.

Anónimo disse...

Sábado, 3 de Outubro de 2009
A CM Lisboa e o clube do regime

«A Câmara Municipal de Lisboa aprovou o projecto do Benfica para a Urbanização Sul, na zona do Estádio da Luz, que tinha estado na origem de um dos diferendos do clube com a Euroárea.
Com esta decisão, caem por terra os argumentos invocados por esta empresa para executar o clube judicialmente por causa de uma dívida no valor de 2,5 milhões de euros. A Euroárea comunicara ao Benfica, em Julho, que ia executar a letra por não terem sido cumpridos os prazos do acordo estabelecido com o clube para pagar essa dívida. Nesse acordo, estava incluído o compromisso de o Benfica conseguir da CML um aumento da capacidade construtiva na referida Urbanização Sul.
O clube levou a proposta à Câmara em Junho, que a chumbou. Mas no dia 31 de Julho, na última sessão antes de férias, e na sequência de uma reclamação do Benfica, a proposta foi de novo sujeita a votação e acabou por ser aprovada – com os votos favoráveis de todos os vereadores socialistas e dos independentes eleitos na lista de Carmona Rodrigues.»
in SOL, 02/10/2009


Já tinha falado sobre este assunto aqui.

Entretanto, as negociatas envolvendo a Câmara de Lisboa e os clubes da 2ª circular não se ficam por aqui. O envolvimento da EPUL (empresa municipal detida a 100% pela CM Lisboa) já era conhecido, o que não se sabia é que as negociatas tinham sido tão calamitosas para o erário e interesse público.

«Os compromissos da EPUL com o Benfica e o Sporting, resultantes do acordo da Câmara de Lisboa com aqueles clubes durante a presidência de Santana Lopes, “colocaram aquela empresa sob grande pressão de necessidades financeiras”, revela um documento assinado pelo então vereador Fontão de Carvalho. Com esses compromissos, a EPUL, que já tinha uma dívida bancária de 60 milhões de euros em 2003, ficou a necessitar de liquidez para encargos “com o Benfica e Sporting nos valores aproximados de 50 milhões de euros e 10 milhões de euros, respectivamente, e de satisfação a curto prazo”, diz carta de Sequeira Braga, ex-líder da EPUL, à vereadora Maria Teresa Maury.»
in Correio da Manhã, 02/10/2009


Santana Lopes ou António Costa é irrelevante. A mama para o clube do regime é inesgotável.

In reflexãoportista

dragao vila pouca disse...

Entre um "Rio" poluído e uma gamela, eu prefiro a gamela.

Abraço e bom fim-de-semana

Anónimo disse...

A presença do "riacho" no programa dos "fedorentos" è esclarecedora.