02 outubro, 2009

Uma dama "respeitável"...

Observando bem esta imagem, dir-se-ia que espelha o "desespero" da afilhada mal comportada, clamando por socorro à madrinha de ocasião . Parece estar a dizer, "vê lá se nos livras dos sarilhos em que ambas nos metemos".
Escrevi ambas, porque o perfil psicopático de Carolina já não constitui notícia para ninguém, mas o de Maria José Morgado, há medida que o fracassado processo Apito Dourado foi desafinando, tem vindo a revelar-se cada vez mais suspeito para a opinião pública portuense.
De facto, não passa pela cabeça de ninguém minimamente equilibrado, sobretudo com a responsabilidade de uma Procuradora Geral Adjunta, alegar ter falado com uma das principais figuras do processo por razões humanitárias e [pasme-se!] por consideração ao agente *Sérgio Bagulho.
Se fôr para levar a sério tais declarações, passaremos, desde logo, a ter a certeza que todos podemos em qualquer momento, caso uma imprudência circunstancial nos leve à barra do Tribunal, contactar pessoalmente com um alto responsável do Ministério Público, por razões humanitárias! A não ser que as razões humanitárias de Maria José Morgado sejam sulistas, elitistas e muito pouco liberais... Para ser sincero, a mim, é o que me parece que são.
Esta senhora só ainda está em funções e não foi ela própria submetida a um rigoroso inquérito disciplinar por instâncias superiores, porque estamos num país onde as pessoas acreditam que votar é testemunho de sentido de responsabilidade cívica. Que me perdoem os leitores que foram votar, mas eu, reafirmo que não é testemunho de coisa nenhuma! Este país não precisa de eleitores, precisa de uma revolução a sério [ai, o que eu fui dizer]. Alberto João Jardim, estou contigo! Viva a Madeira!
*Ainda que mal pergunte: qual é a diferença entre "consideração" e tráfico de influências? Esta situação é, ou não, discriminatória? É, ou não, altamente condenável?

7 comentários:

Anónimo disse...

02 Outubro 2009 - 00h30

Autarquia: Para fazer face aos encargos foi obtido crédito no Grupo BPN

Acordo com clubes asfixia EPUL

Os compromissos da EPUL com o Benfica e o Sporting, resultantes do acordo da Câmara de Lisboa com aqueles clubes durante a presidência de Santana Lopes, “colocaram aquela empresa sob grande pressão de necessidades financeiras”, revela um documento assinado pelo então vereador Fontão de Carvalho. Com esses compromissos, a EPUL, que já tinha uma dívida bancária de 60 milhões de euros em 2003, ficou a necessitar de liquidez para encargos “com o Benfica e Sporting nos valores aproximados de 50 milhões de euros e 10 milhões de euros, respectivamente, e de satisfação a curto prazo”, diz carta de Sequeira Braga, ex-líder da EPUL, à vereadora Maria Teresa Maury.

Fique a saber todos os pormenores na edição de sexta-feira do jornal 'Correio da Manhã'.

Rui Valente disse...

Anónimos:

Como deve(m) perceber, é complicado contabilizar ou identificar o(s) "anónimo(s)". Mesmo assim, peço-lhes que não publiquem várias vezes o mesmo comentário, porque isso pode até tornar menos segura a publicação de outros comentários.

Não tenho ainda bem a certeza mas parece-me que sem o querer rejeitei um comentário de um anónimo que queria publicar por ter de anular outros que já tinham sido publicados.

Agradeço um pouco mais de atenção

Anónimo disse...

As noticias do Sol e Cm sobre Camara , Benfica, Euroarea e Epul, que comentário merecem ao RValente,Farinas e Antonio Alves?

Anónimo disse...

"Uma dama "respeitavel"...

A justiça deste país esta bem representada pela figura (aspecto)
desta senhora (...)antiquada,parada
sem resposta a coisa nenhuma.
Desde que está em funções; que eu
saiba!.. não resolveu absolutamente
nada.Casas Pias, Apitos Dourados e
sei lá que mais.

Já não me admira nada desta senhora
Quando a ex-alternadeira, diz que foi ela Carolina que mandou bater no Bexiga.
E ela da-lhe toda protecção e não
a prende.
Estamos falados.

O PORTO È GRANDE VIVA O PORTO.

Rui Valente disse...

Mais do mesmo, mais do mesmo. A sem vergonhice institucionalizada. Que mais quer que lhe diga?!

Rui Farinas disse...

Não li as notícias dos jornais referidos pelo Anónimo das 16:44, mas deduzo do que se trata. É mais do mesmo, como diz o Rui Valente, mas há mais. Lembram-se da barulheira alvoroçada que a CS lisboeta fez a propósito de alegado favorecimento da CM do Porto em relação ao FCPorto? Notório o contraste com a pouca vergonha que foi o ilegal conluio entre a CM Lisboa e os clubes da 2ª circular, exposto por documentos conseguidos pelo Miguel Sousa Tavares, publicados na suas crónicas em A Bola, perante o desinteresse dessa mesma CS, que assobiou prara o ar. O habitual...!

Cumprimentos.

p.s. Até estou espantado por duas publicações lisboetas retomarem o assunto. É pena, mas a esta hora já não consigo adquirir os jornais. Vou tentar na net. Gostava de saber qual a versão apresentada.

Anónimo disse...

A testemunha Carolina foi ouvida em casa da MJM ???!!!