13 março, 2012

Ex-Ministro da Justiça mal comportado versus Presidente do Sindicato dos Juízes

Ex-Ministro da Justiça Alberto Martins
Sabemos muito bem o que a expressão popular "tal pai, tal filho" quer dizer, mas não conhecemos outra do mesmo género que a desminta. 

Por exemplo: correndo o risco de me enganar, porque o meu conhecimento pessoal sobre estas pessoas é meramente intuitivo, acho que o filho do Presidente da Câmara de Gaia, Luís Menezes tem muito pouco a ver com o pai. Enquanto o pai aparenta ser uma pessoa relativamente simples e sociável, o filho é o modelo-tipo do betinho da Foz, arrogante e mal encarado. Isto, vale o que vale, mas a verdade é que neste caso concreto os traços de carácter entre pai e filho parecem bem distintos.

Já entre o ex-ministro da Justiça, Alberto Martins e o filho, o jornalista da RTP, João Martins, tudo indica existirem traços em comum. O pai, segundo notícias vindas a público [no JN de hoje], foi acusado pelo Presidente do Sindicato dos Juízes, António Martins  [estes martinis são intragáveis], de ter sido o mais gastador dos ministros da Justiça. Consta que usou e abusou dos cartões de crédito públicos para pagar despesas de milhares de euros em refeições, apesar de receber dinheiro para despesas de representação. Do filho, não sei se também recebe verbas da RTP para despesas de peculato - perdão, queria dizer de representação -, ou se anda a usar o cartão de crédito do canal público para fins particulares. O que sei, é que em matéria de carácter também deixa muito a desejar, visto se prestar a fazer a mesma figura de capacho de alguns colegas seus, na discriminação que a RTP faz ao FCPorto. 

Este sim, é um interessante exemplo de como o ADN do filho tem fortes semelhanças com o do paizinho. Mesmo que esse paizinho tenha ocupado um lugar político altamente respeitável, sem ter competência nem categoria para o merecer. 

Mas, não nos iludamos, ninguém está inocente em matéria de ética. O próprio acusador do ex-ministro da Justiça, é o Presidente do Sindicato dos Juízes, António Martins, precisamente o mesmo que promoveu o congresso pomposo do Sindicato de Juízes patrocinado por instituições bancárias sob suspeita aqui referidos por Marinho e Pinto. Olha para o que eu digo, pá...

Estamos em Portugal, ninguém leva a mal, e é tudo gente fixe.  

6 comentários:

dragao vila pouca disse...

Ó Rui, assim vou deixar de vir ao Renovar o Porto... o meu estômago não aguenta tanta safadeza.

Abraço

Rui Valente disse...

é Vila Pouca,

diz-se que há cada vez mais gente a morrer de fome. Mas eu penso que também a há a morrer de desgosto por viverem num covil de gangsters que brincam com a Justiça e com a vida das pessoas.

Também pode acontecer morrerem de azia sim.

Um abraço

marujo88 disse...

Isto vai de mal a pior,todos os dias se descobrem coisas muito más para a democracia e por conseguinte para todos nós contribuintes,são sempre os mesmos a pagar e sempre os mesmos a comer,parece que isto não tem fim,os meus subsidios de natal e de férias já foram,mas as rendas aos grandes chulos do país isso eles não mexem,grande herói este primeiro ministro,sempre a bater nos mais fracos,agora foi o secretário de estado que queria tirar alguns tostões ao mexia e companhia que foi posto a andar,porque o primeiro ministro disse:nesses não se mexe,só um 25 de abril sem cravos é que nos resolvia o problema!
Um abraço

Rui Valente disse...

marujo88,

disse bem, um 25 de Abril mais armado que florido...

Não me lembro de revoluções a valer com cravos nos canos das espingardas.

Um abraço

Anónimo disse...

Pegar nesta escumalha de chulos e mete-los numa misturadora, o resultado do cocktail era "Veneno de Sanguessugas".
Meus amigos o ADN deles é sempre igual, basta descender da corja política e afins.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO.

Anónimo disse...

um link (João Martins) para um "filme" inactivo? Nã! "eles" ainda andam por aí, sempre a ver, ouvir e bufar o que se diz!