09 setembro, 2012

E se o portismo implicasse abdicar de certas benesses, estariam disponíveis?

É consensual que a força da comunicação social é difícil de domar, mas não impossível. Essa força divide-se por vários órgãos e tem diferentes intensidades, sendo a televisão a que mais influência exerce sobre as audiências. Esses poderes não são inocentes, são até "bem" explorados, mas também são muito consentidos. 

Os média,  vivem dos mercados, e nós teimamos  em querer ignorar que os mercados somos nós.  Temos contudo um grande óbice no combate a esses poderes, que consiste na dificuldade em nos unirmos e mobilizar-nos para lutar por grandes causas.

Queixamo-nos, com razão, que temos uma comunicação social sectária, mas continuamos sem perceber que não temos ninguém com idoneidade para a dirigir e controlar, embora não faltem por aí entidades reguladoras sem qualquer serventia prática. Este é aliás um problema extensível a outros sectores, a começar pelos governos e a terminar na própria Constituição. Portugal está desgovernável, e não é de agora. Temos legislação, e não fazemos o principal, que é respeitá-la.  Depois, temos líderes de fachada, sem categoria, o que os transforma em inúteis parasitas.  Só nos resta uma coisa: a mobilização cívica. Mas até isso rejeitámos, sempre à espera que um qualquer D. Sebastião faça o que nos compete. Assim, não vamos lá. 

Por incrível que pareça, a paixão clubista do futebol provoca reacções de repúdio mais enérgicas do que a própria desonestidade governativa. O povo dispõe-se mais depressa a extremismos por motivação clubista, do que por descontentamento político-governativo. Os governantes sabem-no, e por isso cada vez se preocupam menos em agradar ao povo, deixando cozer em lume brando as querelas entre clubes, porque tal lhes convém.  Protegendo e favorecendo o Benfica, deixam  uma mensagem proteccionista aos seus numerosos adeptos [eleitores], esperando que essa protecção reverta a seu favor em termos políticos.   É neste pé que as coisas andam.

Sendo Pinto da Costa um dos melhores dirigentes desportivos do mundo [não confundir c/ o mais rico], idolatrado pela maioria dos portistas, a relativa apatia com que os adeptos reagiram à caça rija que lhe foi movida pela comunicação social confirma a ideia de que até nas questões do futebol existe uma grande incapacidade de mobilização [e de indignação também], o que significa que a "doença" é mais profunda do que se possa imaginar. No entanto, em fóruns, blogues e nas redes sociais portistas, os adeptos não se cansam de manifestar revolta com a discriminação de que o FCPorto e os seus dirigentes são alvo. Mas a revolta não passa disso. As redes sociais ainda não fazem revoluções... Os portistas estão cobertos de razão quando falam do sectarismo da RTP, da SIC e da TVI, ou quando baptizam com os piores impropérios a imprensa escrita desportiva, mas parecem não querer compreender que os destinatários sabem o que estão a fazer.

Nestas circunstâncias, e à falta de quem coloque ordem na comunicação social, o maior gosto que podia ter, era um dia saber  que [todos] os portistas tinham renunciado a participar em debates desportivos e opinar nos jornais que atrás referi, numa inequívoca manifestação de solidariedade para com o clube. Não há forma de compreender por que é que muitos ainda o fazem, e custa-me a aceitar que o dinheiro que recebem por tão inglório serviço domine as suas consciências de homens livres. 

Miguel Sousa Tavares, gosta muitas vezes de evocar a condição de homem livre para criticar [muitas vezes sem razão] o FCPorto e Pinto da Costa, mas esquece-se que ao escolher a casa do inimigo [A Bola] para o fazer não está a ser coerente, nem muito menos a defender o clube. Ninguém afecta verdadeiramente quem lhe paga... O que ele faz [além de receber uma boa avença], é contribuir para as vendas do jornal, não para a boa imagem do FCPorto. Pessoalmente, prefiro escolher as minhas companhias e  afastar-me das que não me interessam, mesmo em ambientes de trabalho. Não pactuo com gente mesquinha, com estafermos, mas ele convive bem com isso. São opções, formas de estar na vida.

O certo, é que, não é pelos portistas participarem em programas de qualidade duvidosa, nem por escreverem em jornais do mesmo nível que  inibe essa gente de continuar a tentar prejudicar o Futebol Clube do Porto. Colaborar com quem me ofende, ou com quem ofende alguém que me é caro, é colaborar com o inimigo. E não importa aqui saber se o inimigo é empresa ou pessoa [as empresas têm pessoas]. E se outros pensam o contrário, é porque pouco se importam de ser como aqueles que oferecem avenças: uns sabujos vendidos. 

Bem diz o ditado: quem gosta de todos, não gosta de ninguém.


18 comentários:

Anónimo disse...

Este país está cheio de gente desonesta, desde jornalistas, políticos, dirigentes desportivos, juízes, advogados e mais corja que agora não me ocorre.
A RTP (a quem eu pago) é um mau exemplo na manipulação.
O problema é que o centralismo doentio, é o cancro do país.

O FCPorto é o exemplo concreto como se governa. Ganhasse desportivamente e batesse recordes mundiais em venda de jogadores, que deixam nos cofres do clube milhões.
Não somos da capital do Império... mas, somos clube português mais conhecido no mundo e o resto é conversa.
Vamos deixar a ladrar todos esses parasitas, e continuamos o nosso caminho.

Ontem ouvi o papagaio do PSD Rebelo de Sousa na sua habitual conversa da treta na TVI. Dizia ele com alguma vergonha que o (incompetente digo eu) 1º ministro precipitadamente meteu pata na poça. Na sua boa nova ao país como sempre, o anormal inresponsável disse o que sabia, mas não sabia o que dizia. Ou seja, o Pinóquio fez entrada de leão e hoje é um simples sendeiro.
O papagaio R.S diz que ele, o ministro, deveria quanto antes, de pedir desculpas ao país, e que nós não somos como os Gregos, somos mais pacíficos!... estás enganado Rebelo, o Bicho tem que pagar pela incompetência e roubo.

O PORTO É GRANDE, VIVA O PORTO.

dragao vila pouca disse...

Rui, vou fazer uma hiperligação para este post que vem mesmo a calhar por causa do artigo de Miguel Sousa Tavares de hoje.

Abraço

marujo88 disse...

Fossem os portistas todos da minha opinião e já esses moços de recados, dos jornais desportivos de lisboa, tinha morrido à fome porque não compro lixo, mas há muita gente do nosso clube que teima em manter esses moços de recados do clube do regime,sim clube do regime,basta ver o apoio vergonhoso dos governantes,inclusive o curvado da federação portuguesa de futebol,que pensavamos que era portista,pelos vistos o dinheiro faz tudo,a única coisa que nos resta,SÃO AS NOSSAS VITÓRIAS DENTRO DAS QUATRO LINHAS, porque para essa gente sem espinha,as vitórias são sempre por outro lado,basta ver este castigo ao chiclete,à semelhança do anterior,cumprido durante o interregno do campeonato,e com o presidente da (in)disciplina a apoiar.Rico país este em que a autoridade convida o criminoso a reensidir e ainda o apoia.Tal como na politica(eles são os mesmos),quanto mais aldrabões,melhor são tratados.VIVA O PAÍS DOS CORRUPTOS,até tenho vergonha de ser honesto,até tenho vergonha de ser português.
Cumprimentos
manuel moutinho

Rui Valente disse...

Vila,

a "casa" é sua...

Silva Pereira disse...

Boa tarde,

Concordo plenamente só não entendo porque só se fala do MST, então o Rui Moreira não é um caso mais ofensivo para os portistas, que eu saiba o MST não vive no Porto e nem frequenta o Dragão.Para mim que até simpatizo co o RM acho muito mais ofensivo escrever nesse pasquim

Rui Valente disse...

Silva Pereira,

se voltar a ler o que escrevi concluirá que falei em portista(s), [no plural portanto], o que significa que a carapuça é para enfiar na cabeça de todos os que colaboram, não apenas na Bola, como nas televisões.

Quanto ao Rui Moreira, fiquei bem impressionado com a decisão que tomou de abandonar o Trio de Ataque, mas deitou tudo a perder ao não fazer o mesmo com A Bola.

De resto, tenho por norma não fazer posts demasiado extensos. Foi o que fiz neste também.

F. Couto disse...

Caro Rui Valente,
Acabo de adicionar o seu blog aos meus favoritos.
Concordo em absoluto com o que diz, nunca gastei um tostão com a imprensa escrita desportiva da capital. Ainda compro o JOGO porque ainda acredito que é do Norte. Já não vejo os programas desportivos da TV porque não posso com os aziados que por lá passam.
Eu sou do FC Porto porque sou Portuense, só podia ser do clube da minha cidade, nunca de um clube a 300 kms.`É por isso que me custa a perceber como existem benfas no Porto e Portistas em Lisboa, mas enfim...
Sou do Porto cidade e do Norte, regionalista convicto e feroz opositor do centralismo.

Abraço aos Portuenses e Portistas

F. Couto

João Trigo disse...

Rui,

Isso é tudo muito bonito, mas na hora de pagar as contas lá de casa é a SAD do FC Porto que se chega à frente? Garantidamente, muitos adeptos e sócios têm dificuldades financeiras. A SAD preocupa-se em ajudar essas pessoas? Não me parece.

Então se o que a bolha paga ao MST o ajuda a gerir o orçamento doméstico e apenas lhe pedem para escrever a sua opinião, qual é o problema?

O que muitos portistas não percebem é que o FC Porto está muito acima de presidentes, dirigentes, administradores, jogadores e treinadores e as críticas dirigem-se a essas pessoas e não ao FC Porto enquanto instituição. Eu adoro o FC Porto, mas isso não me obriga a gostar de quem em determinado momento por lá ganha a sua vida. Eu não sou pintista, nem vitor pereirista, nem hulkista. Sou portista e só.

Desde que o MST diga a verdade e apenas a verdade, não me incomoda o que escreve. Desde que não minta, seja deliberadamente ou por desconhecimento, como é o caso dos prémios pelo 3º terceiro lugar no campeonato que já não corresponde à verdade. Basta ler o relatório de contas de 2011/12.

O que sentimos em relação ao FC Porto é importante, mas o FC Porto não é a nossa vida real. Há coisas bem mais importantes. E quem não perceber, precisa rapidamente de "arranjar uma vida".

Cumprimentos.

Rui Valente disse...

João Trigo,
até nem acho que "isto seja tudo muito bonito" , o que sei e depreendo é que você acredita mais no que diz Miguel Sousa Tavares do que na SAD e em Pinto da Costa. É que se colocar cada qual no respectivo poleiro perceberá logo que MST dá mais tiros nos pés do que acerta, o que talvez lhe recorde os anos de sucesso e alegrias que o FCPorto e Pinto da Costa lhe deram. Foi isto que eu disse, sem tirar nem pôr. Não disse que Pinto da Costa e o FCPorto eram perfeitos. Portanto, há aqui algumas diferenças que conviria reconhecer para memória futura. E dessa memória de sucessos, convença-se que é a Pinto da Costa que se devem. Se você prefere ouvir MST a aceitar esta realidade, o seu portismo, eu caro, precisa de ser revisto.

Por falar nisso, você por acaso fez algo de relevante para ajudar o clube contra a perseguição e a arbitrariedade de que tem sido alvo estes últimos anos? Se calhar também acha muito bem.

Reparei que você ainda dá algum crédito à "A Bola", e uma vez que é assim, estamos conversados. Eu não dou. E estou-me a borrifar para todos os Migueis e os Tavares que lá escrevem, porque aquilo É LIXO! LIXO, PERCEBE?Só lamento é que o seu portismo seja tão limitado.

Rui Valente disse...

Ainda o João Trigo,

Ah, e não confunda o papel do FCPorto com o do Governo, ou com a situação económica e social.

Você devia entender que a barafunda em que vivemos afecta tudo, incluindo os negócios, as transferências e a própria organização dos clubes. O futebol não foge à regra e se há problemas em todo o lado porque havia de o FCPorto ser excepção. Pensa que temos petróleo nas Antas? Vire-se para o Passos Coelho. É para lá que tem de apontar espingardas!

Silva Pereira disse...

Boa tarde,
Adorei e concordo com a resposta a João Trigo. Também não compreendo a falta de memória e gratidão de alguns ditos portistas (que por vezes até desconfio) e nesses inclui o MST, que ou sofre Alzheimer ou então o vírus anti portista que prolifera na imprensa macrocéfala atingiu o MST.
Para essa desenvergonhados não interessa nada a coerência da opinião, vão vociferando conforme a maré, se houvesse um canal de memória sobre o que escreveram no passado e se fosse confrontado com o presente veriam o quanto ridículos que são, então o MST até dava para ser anedótico, tenho para mim que se acha uma pessoa tão sapiente que entende atirar umas atoardas conforme sopra o vento, infelizmente parece ser sina deste país.
Quanto ao seu comentário percebi muito bem que falou no plural, mas como acho que nesse pasquim só dois portistas (conhecidos) publicam a sua opinião entendi que se devia ser nomeado o Rui Moreira, que tem outras responsabilidades no Porto.
Parabéns sou mais um que se juntou aos seus seguidores.
Cumprimentos

João Trigo disse...

Caro Rui,

A SAD do FC Porto não é nenhum estado social. É um facto. Mas se a SAD nada deve aos adeptos e sócios, estes também nada devem à SAD e muito menos aos seus administradores. Quando você fala que devemos as vitórias ao Pinto da Costa, eu lhe digo que não lhe devo nada. Ele é um funcionário muito bem renumerado da SAD. Nada mais fez do que sua obrigação. Para isso lhe pagam. Nem mesmo quando ele era apenas dirigente, não era nenhum samaritano.

Reconheço que é o grande obreiro das vitórias. Não tenho dúvidas disso. Também não duvido que seja um génio porque o que ele fez num futebol centralizado a sul, sabendo dominar as lutas intestinais do futebol português, trazendo o poder do futebol para o norte foi genial.

Mas eu não me esqueço de um certo arroz carolino que arrastou o nome do clube para lama, só porque o pdc à noite tinha muito calor. Nunca lhe perdoarei isso.

O meu portismo está a anos luz acima do pdc. Este sentimento que sinto pelo clube ninguém me tira. Não depende de nada, nem de ninguém. Estou em paz com o meu portismo. Tomara muitos poderem dizer o mesmo.

João Trigo disse...

Quanto ao: "Por falar nisso, você por acaso fez algo de relevante para ajudar o clube contra a perseguição e a arbitrariedade de que tem sido alvo estes últimos anos?"

Não tenho que fazer nada porque essa não é a minha luta. Nem a sua.

Esta luta pertence a quem tem meios e fácil acesso a eles que lhes permite lutar de igual para igual, ou seja, a SAD.

A sua luta corresponde a atirar grãos de areia contra tanques de guerra. É irrelevante e inconsequente. Dá para despejar a bilis e aliviar a alma. Mas amanha lá estarão eles novamente a publicar mentiras e não se dão conta que há muitas "formiguinhas" a tentar dar luta nas trincheiras mas que não fazem mal a uma mosca.

Rui Valente disse...

«Quando você fala que devemos as vitórias ao Pinto da Costa, eu lhe digo que não lhe devo nada. Ele é um funcionário muito bem renumerado da SAD. Nada mais fez do que sua obrigação. Para isso lhe pagam.»

Vamos lá ver se nos entendemos. Costumo ser muito crítico com os gajos que têm colocado o país no top-ten da bandalhice [os governantes], porque considero que é a eles que devo pedir satisfações pelo que acontece ao país, de bom e de mau. Com o futebol sigo o mesmo critério, só com uma diferença. Enquanto dos Governos não guardo um histórico de progresso social e económico, não tendo por isso motivos para elogiar ninguém, com FCPorto e c/ Pinto da Costa sucede precisamente o contrário: houve evolução, sucesso e muitas alegrias, razões bastantes para poder dizer sem qualquer problema que estou grato ao timoneiro que conseguiu tal proeza. Mas você acha que ele não fez mais que a obrigação dele. Pois é, mas obrigações maiores têm os nossos governantes e o que eles têm feito, isso sim é que é vergonhoso! Será que você é tão intransigente com eles? Também acha que não devemos fazer nada e deixar andar?

«A sua luta corresponde a atirar grãos de areia contra tanques de guerra. É irrelevante e inconsequente. Dá para despejar a bilis e aliviar a alma.»

Que sugere? Cruzar os braços e ler A Bola, e o Miguel Sousa Tavares?

Não sei por quê mas leio nos seus comentários um certo ressabiamento com o FCPorto... Estarei enganado?

João Trigo disse...

"Não sei por quê mas leio nos seus comentários um certo ressabiamento com o FCPorto... Estarei enganado?"

Nada mais errado.

Não confundo a instituição FC Porto que adoro com funcionários.

Se é verdade que não gosto desses funcionários - ler administradores - nem um bocadinho - pinto da costa incluído -, do clube FC Porto gosto bastante. Sempre sentirei orgulho em ser portista mas não me revejo nesta gente. Os meus símbolos são o nome, o emblema e a bandeira. O resto não me dizem nada.

Rui Valente disse...

Não, não, João Trigo!

A sua argumentação está tão mal sustentada que acaba por traí-lo!

«Não confundo a INSTITUIÇÂO FCPorto que adoro com funcionários»

As instituições sem pessoas são coisas amorfas, símbolos sem vida, quenão servem para nada se quem as representa não cumprir os objectivos para que foram criadas.

Ora, o FCPorto, enquanto instituição, ultrapassou a concorrência no que respeita os objectivos, que é ganhar campeonatos e troféus. E isso aconteceu nos mandatos de Pinto da Costa...

Eu também adoro Portugal e no entanto desprezo quem o tem governado, por isso não tenho motivos para me orgulhar de ser português. Aliás, se ler o que escrevi neste mesmo post você perceberá por que é que penso o mesmo dos jornalistas da RTP.

Portanto, quem confunde as coisas, e muito é você. De tal maneira que até parece um benfiquista a falar.

Silva Pereira disse...

Boa tarde, Sem querer pretender fazer crítica, mas parece-me que esse "senhor" não merece troco, está claro para mim que é mais um ressabiado de um anti portista. Daqueles que desejam que o presidente JNPC todo o mal do mundo, pois por mais ataques desde a justiceira (MP), RC, pasquins queixinhas à UEFA não conseguem derrubar o JNPC que transformou um clube regional em um clube mundial vulgarizando os clubes do regime (clube mais titulado). Tenho 58 anos e sei bem a diferença do antes de JNPC e o depois. Isso dói muito a esses invejosos. Toda esta escandaleira com o CD e JJ se fosse com o VP, já teríamos os de costume a gritar justiça ao desgoverno e ao mafioso do Platini. Cumprimentos e admiro a sua paciência

Silva Pereira disse...

Boa tarde,
Meu caro Rui Valente permita-me que o trate assim, completamente de acordo. Revejo-me totalmente no seu texto.
Não tenho a sua capacidade de escrita mas este tema é-me muito caro e no meu ciclo de amigos e conhecidos há muitos anos venho (tenho 59 anos) manifestando que infelizmente o FCP é das poucas “coisas” que lutam contra a hegemonia/macrocefalia de Lisboa. O regionalismo foi sempre conotado pelos centralistas a JNPC/FCP para que não fosse defendido. Infelizmente (desde D Pedro ou as revoltas do povo do Porto) na época em que deveria despertar mais as consciências do Norte (o desemprego, o esmagar com taxação/portagens, o sistemático esvaziamento do livre arbítrio – aeroporto- Porto Leixões … mais atrás a 1º faculdade com restrições á entrada foi a F Medicina do Porto, a faculdade do Porto só passou a ter direito com os tecnocratas mandavam no império… etc.).
E o que assistimos é ver que os nortenhos não reconhecerem que isto leva a que as oportunidades diminuam para eles e para os seus filhos. O que se assiste é uma maior propaganda do centralismo e uma falta de líderes do Norte que façam revoltar este povo. Há uma lufada de ar novo com o Porto Canal, mas que é muito titubeante. Este último exemplo de roubalheira que se prepara com os desvios dos fundos europeus para Lisboa é escandaloso, e assistimos a uns putativos candidatos às câmaras do Porto e Gaia, ou se calam ou continuam alinhados com essa continuidade.
Parece-me que os portuenses/ tripeiros que se resignaram.

Eu por mim desiste de votar pois já deixei de acreditar, só espero é que a sua voz tenha eco.
Os meus parabéns porque ao ler os seus textos faz-me pensar que talvez ainda haja uma esperança.
Cumprimentos