22 janeiro, 2016

Rui Moreira não quer "TAP alfacinha"

Para o Porto não "serve" existir uma TAP pública "que seja alfacinha". Mas se a empresa sempre for privatizada, o mercado tratará de preencher as lacunas deixadas no Aeroporto Francisco Sá Carneiro


Rui Moreira

Ou seja, serão os privados a fazer as ligações Porto-Madrid, Barcelona, Milão e Roma que a TAP tenciona cancelar a partir da Páscoa. Esse foi o aviso feito, nesta manhã de terça-feira, pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

"Estamos a ver se encontramos soluções alternativas ao serviço público", revelou Rui Moreira, em declarações aos jornalistas, na Câmara do Porto. O autarca adiantou ainda que reuniu, na quarta-feira, em Madrid, com um operador privado para apurar se teria interesse em substituir a TAP na ligação Porto-Milão, uma das quatro que serão canceladas pela operadora pública, a partir da Páscoa. Rui Moreira escusou-se, contudo, a especificar que operador contactou.
"Se a TAP abandona o Porto, o Porto abandona a TAP", avisou o autarca independente.

No entanto, o recurso ao mercado privado para garantir que, no Porto, continuem a existir ligações diretas com as principais cidades europeias, para Rui Moreira, só faz sentido se a TAP sempre for privatizada. Caso se concretizem aquelas que parecem ser as intenções do atual Governo de manter a empresa na esfera pública, o autarca portuense vai exigir que seja cumprido o "serviço público".

"Aí teremos que perguntar se o interesse público é só Lisboa. Aí exigimos serviço público e que a TAP não seja alfacinha, seja TAP Portugal", afirmou Rui Moreira, convicto de que o reforço das ligações Porto-Lisboa e a criação de uma ligação direta Vigo-Lisboa significa dizer "que querem que os passageiros da Galiza viagem para África ou para a América Latina através de Lisboa".

2 comentários:

Guilherme de Sousa Olaio disse...

Caro Rui Valente,
JOSÉ LUÍS BORGES, numa das suas reflexões, diz que " A democracia é um erro estatístico, porque na democracia decide a maioria e a maioria é formada de imbecis."

Hoje estou em período formal de reflexão e o tema em apreço ajusta-se ao "vento que passa", tem muito a ver com aquilo que os Nortenhos vão decidindo cada vez que são chamados a criar maiorias.

Lembram-se do famigerado referendo à REGIONALIZAÇÃO e dos maquiavélicos propósitos que trazia no ventre. Pois bem, um dos seus impulsionadores prepara-se para arrecadar à 1ª ou à 2º volta o espaço e os instrumentos que lhe permitirão apagar de vez, através do chamado magistério de influência, o tema REGIONALIZAÇÃO da agenda política e até da Constituição.
Aquilo que é denunciado por RUI MOREIRA não é mais do que mostrar como continuam a ser tratados os Nortenhos. Estes, à medida que a geração se vai renovando, vão, paulatinamente, deixando "morrer" esta bandeira autonómica.
A TAP ALFACINHA, como é designada por RUI MOREIRA, fez-me recordar aquele programa de TV de seu nome ZIP ZIP, onde Raul Solnado no desempenho da rábula sobre o Homem do Emblema ( em contraposição com o saudoso Homem da Bandeira de Almada) dizia entre outras comparações que no Porto tínhamos um Aeroporto e não uma Aerolisboa.
Mal sonhava ele que tal afirmação andava perto de se concretizar, cerca de 50 anos depois.

Cumprimentos

Rui Valente disse...

Caro Guilherme Olaio,

Ainda hoje hesitava se devia ir votar ou não. De súbito, dei por mim a voltar à realidade e a interrogar-me: será que estás a deixar-te levar pelo pecado da "abstenção" e vais cair na ratoeira do voto útil? Será que queres regressar à puberdade sem beneficiares das vantagens?

Depois de um ligeiro ataque de infantilidade, voltei à realidade e decidi: não quero votar para atrapalhar A, nem beneficiar B, quero votar com convicção. Como ninguém me dá as garantias que quero, não voto!

Cumpts.