24 janeiro, 2016

ELEIÇÕES

Imagem dos resultados de notícias

Hoje, mais uma vez, não vou votar.

Provavelmente, morrerei antes de voltar a votar. Não vejo sinais para que as coisas mudem nos próximos anos. Os políticos queixam-se da abstenção, mas sabem muito bem o que eu - e outros que me acompanham -, pretendem deles. Chama-se confiança. Como não a têm, desde há muitos anos, agora exigem-lhes garantias, e é isso que nenhum se propõe dar-lhes.

A excepção a esta regra (Legislativas e Presidenciais), talvez me decida a abrí-la nas autárquicas. Por uma razão muito simples: o poder local é mais facilmente escrutinável que os outros dois poderes. E isto é tão evidente, como a resposta às dúvidas dos inimigos da regionalização. Os anti-regionalistas, não têm (nunca tiveram) argumentos sérios para negar essa realidade, e se não querem a regionalização é porque algo de estranho e inconfessável têm para quererem manter o status-quo.

Até a comunicação social ajuda os que se querem manter distraídos a abrir os olhos. Hoje mesmo, à hora do almoço a RTP e quase todos os outros canais promovia a candidatura de Marcelo sem mostrar o menor respeito pelos outros candidatos. Basta ver, e pensar um bocadinho.





3 comentários:

Anónimo disse...

Muita gente morreu para hoje o senhor ter o direito ao voto. Os seus regionalismos ao pé disso são peaners

Rui Valente disse...

Há anónimos tão limitados, que levam uma eternidade para perceberem que ao discordar da opinião de terceiros [devidamente identificados] perdem implicitamente toda a credibilidade, por uma razão muito simples:

-o anonimato traduz cobardia, falta de coragem para dizerem o que pensam

E, já agora, que falas da morte de pessoas para eu ter direito ao voto, adianto-te que, enquanto outros democratas como tu, traduzem a coragem atrás do anonimato, eu deixei um país estrangeiro onde me encontrava a viver, para ir combater em Moçambique em nome de uma pátria que nunca me agradeceu o gesto Se fosse hoje, garanto-te que não o fazia. Deu para perceber, ou queres que te faça um desenho? E tu que fizeste pelo teu país e pela democracia? Posso saber ANÓNIMO?

Guilherme de Sousa Olaio disse...

Caro Rui Valente,

O ANÓNIMO, mantém, verdade seja dita, a mesma falta de qualidade nos comentários que julga fazer. Porém, dá para perceber que aumentou o nível e já mete uns estrangeirismos para disfarçar. Munido do dicionário de Inglês do mestre da táctica, vai daí e presenteia-nos como a versão mais actualizada do substantivo masculino AMENDOIM.
Very cool

Cumprimentos