25 outubro, 2016

Dragões de Ouro

Clicar na imagem para ampliar
No contexto actual, de desencanto com a conduta do presidente do FCPorto, a festa dos Dragões de Ouro não tem o impacto que devia ter. Uma festa deste tipo, que visa essencialmente louvar o empenho de atletas e funcionários, adquire uma aparência algo postiça, e de certo modo injusta para quem a merece, quando o líder deixa de estar ao nível do espírito que a gerou. Apesar disso, foi talvez a gala mais conseguida do ponto de vista lúdico e ambiental.

Desse ponto de vista, a estrela da noite foi sem dúvida alguma Pedro Abrunhosa que a certa altura desafiou a plateia que - como é habitual, porta-se de forma demasiado formal e fria - a levantar o rabinho do assento. A dado momento, quando Abrunhosa procurava empolgar os espectadores e percebeu que não reagiam, tentou pô-los a cantar, fez uma pausa, e disse: se eu estiver a incomodar por favor digam... 

Foi tão categórico que nem Pinto da Costa resistiu ao desafio a ponto de se pôr a cantar à frente dele com Rui Moreira a acompanhar. Foi uma cena hilariante que desmontou por momentos aquele ambiente um tanto solene para um evento que devia ser sempre de festa e boa disposição. Enfim, mesmo assim acabou por ser bem mais divertida do que seria expectável. Portanto, acabei por gostar do resultado final, devo admiti-lo.

Por mais que tente evitá-lo, não consigo dissociar os momentos positivos da brutal mudança de comportamento de Pinto da Costa. E não sou só eu, cada vez há mais portistas intrigados com as contradições deste homem. E é uma pena, porque sendo ele um dos principais responsáveis pelos últimos anos de resultados negativos devia ser ele o primeiro a inverter o ciclo. Só que, como parece decidido a virar as costas aos inimigos do FCPorto, numa altura em que o principal rival anda a ser acossado com a história dos vauchers, depois de tantos danos terem causado ao clube, tudo leva a crer que, caso se repitam as habilidades das arbitragens, ele não terá qualquer reacção. Se não a teve estes últimos anos de arbitragens escadalosas, por que havemos de acreditar que a terá agora? Há aqui qualquer coisa de muito estranho que ninguém consegue entender.

Será que ele, ao menos, entenderá?   


3 comentários:

Anónimo disse...

COSTA DO CASTELO
Eu não vi, de momento não me sinto motivado, é o mais do mesmo, é como o Rui diz tudo muito cinzento, frio. As vezes aquela gente até parece que estão a fazer um frete, alguns vão para mostrar o seu novo fato e elas o novo vestido e sua maquilhagem.
Se podia ser melhor!... À isso podia, mas....

Soren disse...

Pelo menos desta vez, o humor da pequenita foi muito mordaz e inteligente, os prémios foram entregues e os premiados puderam falar (as últimas galas haviam sido absolutamente ridiculas).

Fiquei surpreendido pela positiva. Quanto ao nosso Presidente, gostei de vê-lo sentado ao lado de Rui Moreira.
Pinto da Costa deveria ser neste momento o Presidente Honorário do FC Porto. Ninguém o desrespeitaria por isso, ao invés, acho que o respeitariam ainda mais. A idade não perdoa.

Embora ache que ele perdeu o seu melhor timing de saída, desejo-lhe todo o sucesso do mundo.

Rui Valente disse...

Sim, Soren, a pequena Joana é bem divertida e contundente. Ela, e o Óscar Branco estiveram muito bem. Ele, que até é sportinguista (embora com pronúncia tripeira), teve piada.

Sobre o nosso ex-Líder, já não sei o que pensar. É como diz, Pinto da Costa podia retirar-se sem deixar este rasto de senilidade irresponsável e sair do FCPorto em grande, podendo até manter-se no clube com as honrarias que o seu passado legitimam. Mas, não. Parece que não percebe o que lhe sucedeu, que os adeptos são todos uma súcia de acéfalos e cordeirinhos. Lamentável, mesmo. Não se compreende.