10 dezembro, 2008

A bandalhice agudiza-se!

Quem, depois do que se passou sexta-feira na Assembleia da República, ainda tiver confiança na qualidade dos políticos portugueses," que o diga já, ou se cale para sempre". Por razões de economia temporal, agradecemos que se identifiquem. É sempre útil sabermos com quem não podemos contar.

Há quem insista na fatalidade da Democracia, na impossibilidade de criar um novo regime, mais fiável e humanizado. Não sou tão céptico. Acredito sim, que haja quem esteja interessado em manter tudo na mesma por simples comodismo ou medo da mudança. Eles lá saberão por quê, o que não podem é pensar que estão a dar um bom contributo para alterar as coisas.
Eu já não sei, que outros "exemplos" teremos de ser obrigados a suportar dos nossos "ilustres" deputados, para que as pessoas recuperem a capacidade de se indignarem. Não faço ideia.


Regimento da Assembleia da República

É o regulamento interno da Assembleia da República, aprovado por resolução, onde estão previstas todas as regras relativas à sua organização, funcionamento e formas de processo para o exercício das competências previstas na Constituição. Compete à Mesa interpretar o regimento e integrar as lacunas.

(Fonte: Wikipédia)


Nota de RP:

Pronto, já sabemos o que é o Regimento da Assembleia da República, que o Regulamento existe. Agora, vamos ao que interessa. Para que serve o Regulamento, se é perfeitamente imprestável, se é mera figura retórica escrita? Para que serve?

Sem comentários: