09 dezembro, 2008

Dragão,património do orgulho tripeiro

Ao contrário da estrutura da (actual) CMP, a organização do Futebol Clube do Porto, não sendo perfeita (e qual é?), funciona bem. Estas duas instituições do burgo, outrora amigas e cumplíces em iniciativas e afectos, estão hoje de costas voltadas, resultado de uma queda paraquedista na cidade do Porto, do actual Presidente da Câmara e da sua política completamente desastrada.
Oito anos decorreram, e, como previa, a cidade nada ganhou com a gestão de Rui Rio. Pelo contrário. O Porto definhou, tornou-se mais triste, sombrio, tímido e pouco ambicioso, à imagem do seu edil.
As excepções, devem-se à iniciativa privada que, apesar das crises (ainda não descobri onde acabou a primeira e todas as que lhe sucederam), lá vai procurando remar contra a maré e mexendo com a cidade. Isto, passa-se também, em termos de reabilitação urbana. Pelo que consegui apurar, através do trabalho efectuado para o blogue As Casas do Porto, onde vou retirando alguns registos de imagem, a SUR continua a "trabalhar" a passo de lesma e só agora, com a aproximação das eleições, é que começa a fazer aquilo que devia ter feito há 8 anos atrás. Mesmo assim, o que conseguimos verdadeiramente descortinar, são os andaimes e os painéis a tapar o casario, e não, gente a trabalhar efectivamente nas obras...

Coincidência, ou não, o facto é que Rui Rio com o seu anti-portismo primário, deu um grande contributo (ou pelo menos, "abriu o caminho") para o arranque da caça às bruxas que foi levada a cabo pelo governo centralista e suas instituições a Pinto da Costa e ao FCPorto. Com a sua atitude (de desprezo e provocação ao clube portuense), Rui Rio transmitiu um recado que Lisboa interpretou como um sinal de ordem para avançar, e foi o que se viu. Suspeições atrás de suspeições sobre o Presidente do Clube, com todos os prejuízos que tal acarretou para a imagem do clube e da própria cidade, quer desportiva, quer financeiramente, para chegarmos à conclusão que a montanha pariu um rato... Rui Rio, pode bem limpar as mãos a esse trapo. Provavelmente, e ao contrário do que imaginou, vai-lhe custar o acesso ao lugar cimeiro (Presidente) do PSD.

Como dizia há dias o amigo Rui Farinas, em conversa pessoal, realmente, os portuenses só podem ser masoquistas se voltarem a reeleger para a Câmara do Porto o actual Presidente. Eu concordei com ele. Mas, pensando melhor, caso tal venha a acontecer, não será também uma consequência perversa da imigração quando uma cidade se abre para o "Mundo"? Exceptuando os lambe-botas do costume, os amiguinhos de conveniência partidária, que vendem a alma (e a cidade) ao diabo só para continuarem ligados ao Poder e ao tradicional tacho, suspeito que o principal eleitorado de Rui Rio seja efectivamente tripeiro.

Talvez seja, sim, um eleitorado "portuense", com pouca tripa, e muita alface.

9 comentários:

dragao vila pouca disse...

Meu caro Rui, depois do presidente parolo, temos o: "portuense com pouca tripa e muita alface."
Está bem visto sim senhor. É uma definição feliz do actual presidente da autarquia portuense.
Como já referi por várias vezes, se ele sair do Câmara, acredito que o Porto vai voltar a ter a importância, protagonismo e voz, que já teve no passado.
Um abraço

Philipp disse...

Não posso deixar de adicionar alguns factos importantes neste seu post.
1º- Rui Rio não caiu de paraquedas, foi eleito e reeleito pelos portuenses (portistas, boavisteiros, sportinguistas, benfiquistas e indiferentes);
2º- Ninguém concorda com o bloqueio do plano das Antas? Plano que ia contra o PDM. O que é facto é que a mafia do FCP e o PS (Fernando Gomes) já estavam feitos e convencidos que iriam ganhar as eleições. Foi uma reacção perfeitamente normal.
Não creio que o FCP nos seguintes anos tenha defendido os interesses da cidade e do povo, defenderam sim os interesses imobiliários e financeiros (que pelos vistos eram ilegais). É óbvio que usaram a influência popular que tinham para fazer campanha contra Rui Rio.
Depois, pelos vistos, os portuenses voltaram a gostar de Rui Rio e desta vez ainda mais (maioria absoluta).
Diga-me uma coisa: Acha que Francisco Assis faria melhor? E o Fernando Gomes, é tripeiro?
Agora: é verdade que ele havia de fazer um esforço para refazer as pazes (o que aos poucos tem feito); é verdade que Rui Rio é pouco democrático, nomeadamente nos casos do Bolhão, Rivoli, etc... Não sou contra as privatizações (nem todas), sou sim contra a forma com estão a ser dirigidas. Não acho que ele seja nada parolo. E acima de tudo, tem dado voz ao Porto e ao Norte, isso não podem fingir que não. Ele até já defende a Regionalização e até foi o único autarca a promover debates significativos sobre esta. Tem sido um cão de caça no que toca à estagnação da expanção do Metro do Porto e aos desvios de fundos europeus para Lisboa.
Uma última coisa: sou sim portista e tripeiro.
Um abraço

Rui Valente disse...

Sr.Philipp:
1º.Talvez perceba o termo "paraquedas" se lhe lembrar que, durante todo o tempo que RR foi deputado em Lisboa pouca gente sabia que ele era do Porto. Mas isso, é o menos. O mais, é nunca o termos visto pronunciar-ser uma única vez,sobre o Porto e os seus problemas, ou dar mostras do menor inconformismo com a situação.
2º.Nem sei se deva responder a esta sua questão dada a "segurança" como fala das "Máfias" do FCP e do PS, o que, de algum modo levanta o véu do mistério. Ou seja, você não é portista, e acho que está tudo dito. Agora, é só dar largas à imaginação. Com jeitinho, é capaz de dizer que a responsabilidade das faltas dos deputados à sessão de 6ª.Feira na AR, também é da Máfia do FCP. Meu caro, decepcionou-me! Pensei que fosse mais inteligente. Ouça lá, acha que cabe ao FCP defender os interesses da cidade e do povo? Só faltava essa!
3º.Sobre F. Gomes, não foi um autarca perfeito, foi apenas o melhor que o Porto teve, desde que sou pessoa ( e já conto c/ umas dezenas de anos, sabe). Fez asneiras, fez sim senhor. Mas diga-me lá: você lê os jornais todos os dias? Será que só está interessado em diabolizar o Fernando Gomes por ser adepto do FCP, e assobia para o lado, com a pouca vergonha da política em Lisboa e no resto do país? A "Máfia" só tem nome de baptismo, quando cheira a Porto ou, mais precisamente, ao FCPorto.Por que é que não fala das Màfias de Lisboa? Não existem, será? Você não percebe que esse fadinho mafioso já não é argumento respeitável? Você só está a enganar-se a si prório!

4º.Quanto a RR ter dado voz ao Porto, meu caro, ou é você que ouve bem demais, ou sou eu que sou surdo. Se é isso que espera de um bom líder para o Porto, lamento dizê-lo, mas você quer muito mal ao Porto. Dê uma espreitadela ao blogue As Casas do Porto e arranje uma boa desculpa para justificar o que lá vê!
Regionalista Rui Rio? Que se saiba ele ainda não decidiu se devia sê-lo ou não. Ele diz que anda a ver se o convencem e você diz-me que ele é Regionalista?
Meu caro, só posso dizer-lhe: abra os olhos!

dragao vila pouca disse...

"Uma última coisa: sou sim portista e tripeiro"

Um portista que se refere ao seu clube como: "as máfias do F.C.Porto" deve ser tão portista, como eu sou benfiquista. Mas mais, este senhor deve como o "Rio", um "tripeiro" que não gosta dos portuenses, que deve achar que somos todos uns mafiosos, um bando de malfeitores, uns tipos, que coitados, só têm futebol na cabeça, ou então, que pensam pela cabeça do Pinto da Costa.
O " Rio" tem lutado pelo metro?! Só contaram para você. A única coisa que ele quer é resolver o problema da av. da Boavista.

"Rio" REGIONALISTA?! Outra risota!

Tem dado voz ao Porto e ao Norte?!
Estou completamente surdo!

Ah, Philipp é nome própRIO? Ou é de betinho da foz?
Um abraço ao Rui

Philipp disse...

Caros senhores,
1º não entendo que devam pegar no meu nome como forma de argumento (ou direi agressão). O meu nome faz parte da minha herança e se duvidarem da minha "portuensidade" ou até mesmo da minha "portuguesidade", lembro-lhes quem foi Alfredo Keil. Escreveu aquilo que todos cantamos (quem sabe) no início de cada partida de futebol da selecção e em outras ocasiões.
2º não julgo que "nós" somos todos mafiosos. Do mesmo modo estaria a dar tiros nos pés. Irrita-me mesmo ver que existe realmente esse cliché com as gentes do Norte (agora agravado com o caso do apito dourado e afins). Não disse sequer que todos os portuenses são mafiosos. Falei da "mafia" (repare-se nas aspas!) de interesses que uniu o FCP a Amorim e a candidatura de Fernando Gomes. A mafia de Lisboa não me interessa!! Se formos por aí, também vamos ter de dizer que em Espanha também há mafia e por aí fora.
3º também concordo que Rui Rio queira resolver a Av da Boavista. Sinceramente, acho mais importante a linha do campo alegre. Mas que ele não se tem calado, não. (todos os dias leio as notícias sobre Rui Rio pelo Google news seacrh, fazem o mesmo?)
4º eu não disse que Rui Rio é regionalista. Disse que defende a regionalização. Não sei se assitiu na televisão à última quadratura do círculo (se não me engana o nome) em que se falou do PSD e que um dos temas foi mesmo a Regionalização. Um dos intervenientes foi Rui Rio. Regionalista como sou, vejo com bons olhos o que ele tem feito, para mais tratando-se de alguém do seu estatudo num partido tão influente em Portugal. Podia fazer mais? Sim. Será fantochada? Às vezes penso que sim. Mas como regionalista e interessado no melhor da minha cidade natal (e dos meus pais e avós!) acho que ele tem jogado bem nessa questão. Estou sim, na espectativa do que ele fará quando acabarem as conferências (ou o teatro).
Agora tou curioso: em quem é que os senhores votariam nas próximas eleições autárquicas?
5º Mais uma vez afirmo ser portista. Portista arquitecto que põe a qualidade de vida da sua cidade à frente dos amores clubísticos. E desculpem que vos diga: acho mesmo, pelos vossos últimos comentários, que o FCP vos turva a visão em alguns aspectos. É bom termos essa devoção, mas calma!

Agradecia que publicassem aqui o link para esse blogue As casas do porto.

cumprimentos

Rui Valente disse...

Caro Philipp,

"Gato escaldado de água fria tem medo", nunca ouviu dizer? Ocorreu-me este dito popular, para lhe explicar por que é que eu ( e não só)reagi com alguma rispidez ao seu comentários.
Eles pareciam autenticas fotocópias daquilo que andamos a ouvir há tempo demais dos n/ "amigos" centralistas e anti-portistas entre os quais incluo Rui Rio.
Não tenho capacidade para descortinar, mesmo colocando de parte a minha antipatia pelo autarca portuense, quais foram os benefícios concretos da gestão de Rui Rio. Em que é que ele lhe acrescentou mais valia, originalidade, ambição, garra,desenvolvimento, rigor (sim, rigor), modernidade, etc., etc .

O meu amigo é arquitecto. Pois bem, dou-lhe os meus parabéns, porque é uma profissão que muito aprecio, mas o seu colega Pedro Lessa (que também gosta do Porto e do FCP) não lhe reconhece grandes méritos. Se duvida, dê uma saltada à Baixa do Porto e confirmará o que afirmo. E não é o único, há muitos, muitos mais. Portanto, essa de puxar do estatuto profissional para lhe acrescentar credibilidade não é o argumento mais convincente.
Mais: o Arqº. Manuel Salgado, deu uma entrevista há bastante tempo (no Público, creio eu)em que afirmava que Rui Rio foi quem violou o plano de pormenor das Antas, o que levou o FCP e o arquitecto M. Salgado a terem de optar pela construção do Pavilhão multi-usos naquele "enclave" afunilado, onde está agora, entre a linha do Metro e o Estádio do Dragão. Como deve saber,no projecto inicial, ele estava previsto para o outro lado da estrada, junto ao Mercado Abastecedor, não se lembra?

Como pode ver, o portismo não me tolda as ideias nem impede de ver a cidade para lá do FCP. Este blogue está aberto a tudo, mas o futebol como poderá constatar aqui mesmo, não é o tema principal. A diferença é que eu não tenho complexos sobre o futebol, nem sobre coisa nenhuma. Tenho talvez preferências, o que é diferente.

Já agora, o link para o blogue "As Casas do Porto" está mesmo aqui à direita, na coluna dos favoritos. É só clicar e vai lá ter. Mas aviso-o: o que vai ver, não é propriamente um Hino à gestão canmarária da recuperação urbana da cidade.

Um abraço

Philipp disse...

Caro Rui,
Tenho pena de não ter visto tal entrevista com o Salgado, pois teria todo o interesse. Se o que disse realmente se passou, então não sei no que é que hei de acreditar. Na verdade eu não conhecia o PDM da altura em vigor, mas sei que o bloqueio foi feito com base em irregularidades face a este. E parece que nenhum tribunal deu razão aos interesses imobiliários do FCP (será que também estavam feitos com o lobby anti-porto?). Sinceramente, a ideia de ir contra o PDM pareceu-me mais provável do que uma perseguição (sem qualquer base) ao FCP. Se Rui Rio fosse benfiquista, ainda acreditava... "Onde há fumo, há fogo."
Agora, tambem aceito que o processo foi muito mal conduzido por parte de Rui Rio. Ele é, deveras, muito mau relações públicas! Mas isso não lhe tira a alegada razão do projecto ir contra o PDM.
Quanto a privilegiar o FCP na cidade do Porto, tenho as minhas reticências. Porquê beneficiar o FCP e não a Sonae? Ou o vinho do Porto, ou Siza e companhia?

Apenas referi a minha formação para reforçar o meu interesse pela cidade. Tendo em conta que estava a querer provar que Eu realmente penso daquela maneira, achei aceitável e ilustrativo ir buscar dados da minha pessoa. Acredito que diferentes formações criam diferentes pontos de vista políticos. Era só isso, não quis de maneira nenhuma diminuir alguém.

Também fiz os meus trabalhos de casa e sei que trabalha com o ambiente. Pelos vistos temos várias coisas em comum: Porto, FCP, Arquitectura e Ambiente.

Quanto a responder com rispidez. Eu compreendo as suas emoções, que todos temos. Sei bem o que é ser dominado por emoções e paixões numa discussão. Não sou nenhum centralista, muito pelo contrário há até quem me chame de anti-lisboa. Mas se fosse o caso de ser um centralista, fariam ainda pior. Faria-vos certamente sentir-se bem, mas sabem que não é forma de discussão. O que eu quero dizer é: Não é "normal" tais modos e não podem ser rotinados, principalmente em alguém com "dezenas de anos". E falo contra mim mesmo, pois eu também respondo assim muitas vezes (demais).
Um senhor sabido disse-me uma vez: "Sempre que misturares emoção numa discussão perdes automáticamente razão."
Leia-se esta citação como um conselho e não uma provocação, por favor.
Mas não me queixo tanto do senhor Rui. Já ali do Dragão (não deve ser nome próprio) não posso dizer o mesmo. Talvez seja alguém de apenas uma dezena de anos e aí será compreensível. Mas mais uma vez: não cultivável.

um abraço

Rui Valente disse...

Caro Philipp,

Creio que toda esta confusão e algum nervo à flor da pele resulta da tal história do "gato escaldado".
O Vinícius de Moraes, autor/compositor/cantor brasileiro (já falecido),bem dizia que: "a vida, é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro nesta vida". Um dos maiores problemas dos humanos é o problema de comunicação. Às vezes, podemos querer dizer as mesmas coisas, mas nem sempre o sabemos fazer da forma mais correcta (e aqui, também me estou a incluir).

Quanto a RR, respeito a sua opinião, mas, sinceramente, lamento-a.
Pode ter a certeza, é de uma coisa:
mesmo com todas as asneiras que RR fez qundo veio para a CMP, se lhe reconhecesse as qualidades de um bom Líder, de um bom gestor para a nossa cidade, votaria sem hesitar nele. Mas, não é isso que acontece. Não quero diabolizá-lo, exagerar-lhe os defeitos, mas acho que é desatrado em tudo o que "mete o nariz" (e mete muito pouco, quanto a mim)...
Meu caro, esqueça as aparentes "hostilidades" (incluindo a do Dragão, ele chama-se Vila Pouca) e continue a dar sua opinião por aqui. Será sempre bem vindo.
Um abraço

Rui Valente disse...

Esqueci-me de lhe responder às alternativas a RR para a CMP. Boa pergunta.
Não vejo ninguém, para já. A Elisa Ferreira tem valor, mas para já ainda é cedo para emitir a minha opinião. Preciso de a ouvir mais vezes. Outro dia gostei muito de ouví-la na entrevista que deu ao Canal 2, mas dá-me a impressão que (sem o dizer) espera garantias do Big Boss Sócrates para se decidir a avançar. A vaga de fundo de que diz precisar para tomar a decisão deve ter mais a ver com "garantias" para poder "brilhar" na CMP, do que outra coisa qualquer.

Aguardemos.