18 outubro, 2009

Falando de vampiros, é tempo de avivar memórias




Se José Afonso ainda estivesse entre nós, seria ele [também] passivo espectador centralista do neo-colonialismo actual, ou respeitaria os ideais que tanto defendeu cantando?

1 comentário:

zangado disse...

Desde o 25 de Abril que os vampiros passaram a ser os políticos e administradores de Lisboa ou que lá se instalaram para "sugar" o sangue ou recursos do país em seu proveito.
Infelizmente, a propaganda política e da comunicação social adormece a maioria dos portugueses, convencidos a adoptar os valores lisboetas e sulistas em detrimento dos que sempre foram os seus e das suas regiões.
Estes vampiros e o seu centralismo e imperialismo têm de acabar, senão só nos resta lutar por uma autonomia, o mais alargada possível, que nos livre do seu jugo e exploração.