10 maio, 2011

Vícios e virtudes no centro histórico

Com alguns meses de atraso, a Porto Vivo, SRU volta a ter presidente. Rui Moreira sucede, por cooptação, a Arlindo Cunha. Prevaleceu a vontade do líder da autarquia junto do accionista maioritário - o governo. Mas a escolha do presidente da Associação Comercial do Porto não ocorre por simpatia política de qualquer das partes com poder de decisão, porque Rui Moreira é, consabidamente, crítico das políticas urbanísticas da cidade e das opções do poder central no que se refere ao Grande Porto e ao Norte, designadamente quanto ao TGV, ao Aeroporto Sá Carneiro e à aplicação de fundos provenientes de Bruxelas. Rio, Sócrates e... Manuel Pizarro (secretário de Estado da Saúde, presidente da concelhia socialista portuense e putativo candidato do PS à edilidade tripeira) consensualizaram posições favoráveis ao interesse do Porto e da reabilitação do Património da Humanidade. Na discreta posse ocorrida na passada sexta-feira (na qual esteve presente Rui Rio), ganharam as três partes: o governo de gestão, o presidente do executivo camarário e... Pizarro. Por sua vez, Rui Moreira obriga-se a:

1. demonstrar que não se esquece das pessoas que vivem nas freguesias do centro histórico e que, como sempre defendeu, devem ser parte interessada na existência da SRU, independentemente de novos moradores;

2. atrair investimento estrangeiro;

3. fazer com que a SRU seja um instrumento de facilitação para quem quiser ir viver ou desenvolver negócios na Baixa;

4. usar a sua independência financeira e política para desburocratizar uma empresa com vícios de procedimentos que poderiam levá-la à sua extinção e a destruir um projecto fundamental da afirmação universal do Porto.

Alfredo Barbosa
Docente da Universidade Fernando Pessoa
[Fonte: i]

1 comentário:

dragao vila pouca disse...

Espero que o Rui Moreira, ao contrário do Rio, deixe uma marca.

Um abraço