12 fevereiro, 2010

Um Trio de Oportunistas

Bolas, já não peço que o homem da rua tenha de falar verdade 24 horas por dia, coitado, não sobreviria nesta sociedade tão rica em contradições. Nem que um político, pelas mesmas razões, não possa pontuamente omitir certas coisas. Agora, que nos peçam para considerar «normal» que os políticos mintam sistematicamente como mentem, isso não.

Dos 3 candidatos à liderança do PSD, é caso para dizer que venha o diabo e escôlha. O mais jovem, Pedro Passos Coelho, pode ser muito bom rapaz, mas não se lhe conhecem quaisquer ideias sobre a Regionalização. De Paulo Rangel, que ainda há poucas semanas, ou dias, afirmava a pés juntos que a sua candidatura estava fora de questão, ficamos a saber que é um seguidor da teoria [e da prática] que diz  que "o que é verdade hoje, amanhã é mentira".  Por último, Pedro Aguiar Branco, que ainda há umas semanas declarava para um jornal que a Regionalização não era uma prioridade, vem hoje afirmar no Grande Porto que é um regionalista convicto, mas não é capaz de esclarecer se está disposto a avançar com a regionalização, caso venha a ser eleito. Chama-se a isto falar sem dizer nada. É disto que temos na montra para escolher uma alternativa a Sócrates... Alguém notará alguma diferença entre as môscas rosas e as laranjas? Eu não. O que significa que a merda da vida em Portugal será a mesma, e que só as moscas podem eventualmente mudar de côr. Aqui chegados, alguém é capaz de perceber a bondade da democracia representativa? Alguns dos senhores serão capazes de dizer e explicar porque se sentem representados por tão promissores candidatos ao Governo do país sem fazerem de nós tolos?

Malditos «optimistas». Malditos conselheiros do "deixa andar, que assim está bem". São eles também os grandes responsáveis pela situação de profundo descrédito que abala o país. Quando digo país, excluo, obviamente Lisboa, como Lisboa exclui o resto do  país. Lisboa, tem pessoas, não tem robôts, embora o pareçam, por não quererem ver o país para lá das suas fronteiras, como um todo. Malditos também homens do norte, traidores e sem carácter. Deste trio de seguidistas, um é de Lisboa, dois são do Porto. Pelo discurso da tanga, enfadonho, conservador, repetitivo, fraco e submisso, uma só certeza podemos ter desde já: nenhum deles se aproveita.

4 comentários:

Antonio Almeida Felizes disse...

Caro Rui Valente,

Dada a temática abordada, tomei a liberdade de publicar este seu "post", com o respectivo link, no
.
Regionalização
.

Cumprimentos

PI disse...

Infelizmente concordo consigo quando diz que os politicos que temos no nosso país são todos iguais. Estou também totalmente de acordo com a sua opinião de que a regionalização é indispensável para o futuro do Porto e Norte do país. E não vejo saída para o "buraco" em que este país se encontra.
No entanto julgo que nenhum dos candidatos que refere é realmente de Lisboa. Aguiar Branco e Rangel são do Porto e Passos Coelho apesar de ter nascido em Coimbra cresceu em Vila Real e vive em Lisboa. Agora saber se já estão corrompidos pelas pressões centralistas já é outra questão.
Parabéns pelo Blog e obrigado por permitirem que se divulguem as injustiças cometidas contra o Porto e Norte. Obrigado Por me manterem actualizado.
Um abraço
Pedro Oliveira

Rui Valente disse...

Caro Almeida Felizes,

publique daqui o que quiser sempre que achar oportuno.

Um abraço e parabéns pelo seu trabalho a favor da causa regionalista.

Rui Valente disse...

Caro Pedro Oliveira

grato pela sua visita.

A mim não me perturba a origem dos candidatos, o que me interessava mesmo, era saber objectivamente que ideias estes candidatos têm para o país. Sobre a Regionalização, que nunca experimentaram, todos têm medo e insegurança. Já do Centralismo, que afinal é o Regime em que sempre têm vivido e que tem dado provas, ano após ano, de ser o grande responsável pelo atrofiamento do país profundo, estão à vontade e continuam a acreditar que podem mudar sem mudar nada. É espantoso, não é?

Um abraço