20 março, 2012

Passos Coelho, outro descentralizador vigarista

Segundo a imprensa, Passos Coelho declarou na sua visita à Associação Comercial do Porto, que não era regionalista mas [há sempre um mas], que se considerava um fervoroso descentralizador. Além do aspecto fisionómico e das bandeiras partidárias, ainda não descobri o que é que distingue uns políticos dos outros. Em contrapartida, reconheço-lhes imensas coisas em comum, sendo a falta de carácter, a capacidade para intrujar e a deslealdade para com os eleitores, as três mais conhecidas. Bem, há quem diga que para se ser político  é preciso ter este perfil. Até pode ser, mas pessoalmente continuo convencido que o lugar de gente desta espécie é nas cadeias, fechados a sete chaves, por muitos e longos anos. 

Os jornalistas e toda essa gente que convive com os políticos é que parece que não pensam como eu. Enfim, lá no fundo, no fundo, até são capazes de pensar, só que a eles interessa-lhes não levantar totalmente o véu desta palhaçada global, senão lá se iam as audiências e o que resta da já baixa credibilidade do serviço público que nos estão a prestar.

Já o disse e repito [nunca me hei-de cansar], que nunca vi um jornalista a perguntar frontalmente aos governantes se, sendo eles os responsáveis pela (des)governabilidade do país, não deviam ser também eles os únicos a pagar a crise. Mas a isto, contra a suprema sensatez, eles chamam populismo... Se estivessem habituados a falar sem ambiguidades, sempre havia de aparecer algum dentro da Associação Comercial que perguntasse a Pedro Passos Coelho por que é que continua ele a ser anti-regionalista se a maioria dos países desenvolvidos da Europa já estão regionalizados, sendo líquido que o centralismo tem sido o maior covil de corruptos, não se percebendo por isso a argumentação dos "tachos"  para negar a Regionalização. 

Cansa tanta banha da cobra repetida. Meus senhores, se os governantes não querem a regionalização, queremos nós. Só precisamos é de o demonstrar com clareza, custe o que custar [como diz agora este aprendiz de feiticeiro]. Não voltar a votar será o primeiro passo. 

O segundo, é explicar-lhes porquê, dizer-lhes que não estamos dispostos a dar a nossa confiança a quem a tem cronicamente traído. Dizer-lhes: NÓS QUEREMOS A REGIONALIZAÇÃO! PARA ONTEM!

3 comentários:

Anónimo disse...

esta gente é sempre descentralizadora. Como se a gente não conhecesse os preceitos da descentralização.
Mas o povo quer, o povo tem!

Anónimo disse...

Este Coelho é mais um que já não consigo ouvir; fala muito do cimo da burra com tiques de ditador. É um anti/regionalista!... pudera com aquele tique de quem manda é ele e pouca treta. Isto de ser democrático não é para toda a gente. Este Coelho, para qualquer tipo de descentralização é um carta fora do baralho, ou seja é um bicho fora da cartola, já à muito que deu para ver.
Mas há um outro vendedor de banha da cobra para a regionalização, que se chama-se M.Relvas, fala muito e é baralhador.
Eu neste momento já não consigo ouvir política mete-me nojo.

Agora só um palavrinha do jogo de ontem entre o Clube do Regime e o FCP. O FCP tem que jogar com garra em todos os jogos como jogou ontem,
se ainda quer ser campeão nacional.
Perdemos porque jogamos contra 14. Fomos roubados por um Dias qualquer, ou seja, mais um palhaço com um apito na boca.

O PORTO É GRANDE, VIVA O PORTO.

marujo88 disse...

Nas proximas eleições devia-mos todos votar em branco ou então,escrever no boletim de voto a frase:vão trabalhar malandros,talvez alguma coisa mudasse a partir daí,porque isto continua a piorar de governo para governo,só querem tachos para eles e para os amigos,é uma vergonha,até aquele velho caquético do catroga que já devia estar na reforma continua a dizer alarvidades e a ganhar uma fortuna,ESTE PAÍS NÃO É PARA VENDER EM SALDO!
Um abraço