05 outubro, 2009

«Gamelas»

É famosa a elasticidade mental do político. Seria porventura uma importante qualidade se essa elasticidade fosse usada com prioridade para proveito dos eleitores, e não, como acontece ordinariamente, em benefício próprio.
Com a elasticidade mental fazem de tudo, até substituírem-se à própria natureza. A alteração ao rumo das marés, por exemplo, é um dos seus pratos favoritos. Por um lado, apreciam que lhes sejam reconhecidas competências e dignidades que, por natureza muitos não têm. Por outro, quando lhes dá jeito, gostam de se colar ao nível e aos gostos do Zé Povo, como acontece [agora] em campanha eleitoral. Dão beijos, dançam, riem, abraçam, e até os estruturalmente antipáticos conseguem esboçar um sorrizinho amarelo...
Elisa Ferreira [já o disse aqui], foi infeliz desde o 1º. dia em que decidiu candidatar-se à Câmara do Porto, e já expliquei também porquê. Agora, com a derrota "partilhada" - mas não assumida, claro -entre PS e PSD, podia retirar dividendos do facto, e recuperar algum fôlego desperdiçado na fase de arranque da candidatura arrumando de vez com a veleidade de Rui Rio sonhar em ganhar um novo mandato na Câmara da Invicta. Mas não, Elisa ainda não aprendeu que em política é preciso medir muito bem as palavras, para não serem mal interpretadas e aproveitadas pelos adversários como trunfo, porque poderá ser determinante para ganhar ou perder umas eleições.
Estou certo que, quando, no mercado do Bom Sucesso, se saiu com aquela da "gamela" e de "estar sossegadinha em Bruxelas a ganhar mais", ela não queria menorizar o trabalho dos deputados no parlamento europeu, porque estaria a falar mal de si própria, antes de falar mal dos seus colegas, até porque é reconhecido o excelente trabalho que aí tem desempenhado. Mas a verdade é que nestas ocasiões os adversários políticos tratam de tentar "provar" de que é pela boca que o peixe morre, e agora, tanto eles como a própria comunicação social agarram-se à "gamela" como cão a osso.
Ora, é aqui onde quero chegar quando relaciono a elasticidade mental dos políticos com as "marés". Porque não há nenhum que não pense e ambicione em voz baixa o mesmo que Elisa falou em voz alta[na gamela]. Qualquer adversário político de nível superior não cometeria a imprudência de se aproveitar da ingénua gafe de Elisa Ferreira para tentar transformá-la numa oportunista aventureira, porque ao contrário de muitos, não se projectou da política para a sociedade civil mas sim, o contrário.
Alguns de nós estarão lembrados dos louvores públicos que recebeu pela sua competência na vice-presidência da Associação Industrial Portuense. Foi daí que a foram buscar para a política, o que pode querer dizer estarmos perante uma pessoa competente mas sem o dão típico de fingir dos políticos tipo.
Quando Rui Rio usa argumentos esquerda/direita para definir a cultura [foi afinal ele próprio quem o fez, ao aludí-lo], remete para o subconsciente adormecido dos portuenses a cultura Laferiana, sistematicamente submissa ao lucro imediato do feirante e às modas lisboetas. Alguém o viu sorrir tanto como no programa dos Gatos Fedorentos? É ali, em Lisboa que Rio se sente como peixe em água.
Pois, desta vez vou fechar os olhos e esquecer o PS, esquecer a droga dos partidos e as opiniões publicadas. Vou votar em Elisa Ferreira, vou perdoar-LHE os tirinhos nos pés, para, pelo menos, dar o meu pequeno contributo para a ordem de despejo da Câmara Municipal do Porto, a Rui Rio.

13 comentários:

Rui Farinas disse...

Parabens Rui Valente,acho que é uma boa decisão,eu faria o mesmo se estivesse inscrito no Porto. Mas que EF deu algumas "escorregadelas" escusadas,lá isso deu...Oxalá não a prejudiquem. Um abraço.

Anónimo disse...

Como o compreendo meu caro Rui Valente... Mas não sou capaz de votar em "gamelas" nem de ficar em casa. Vou-me esquecer da foice e do martelo, e de tudo o que passei nos últimos anos da decada de setenta. Vou votar num homem honesto, trabalhador, bem intencionado e que gosta tanto do Porto como eu. Voto Rui Sá.
Zé Fontinha

dragao vila pouca disse...

Bem-vindo ao clube.

Um abraço

Rui Valente disse...

Então o Rui Farinas está de acordo comigo.Ainda bem, é mais um voto que Elisa angariou.

Um abraço

Rui Valente disse...

Zé Fontinha,

Rui Sá, também não é má escolha não. É trabalhador e honesto. Só que não tem hipótese de conquistar a Câmara. Mais do que votar em Elisa Ferreira o meu voto é contra um novo mandato de Rui Rio por tudo o que de pior ele representa para o Porto. Não aprecio cínicos.

Abraço

Rui Valente disse...

Caro Vila Pouca,

bem-vindo ao clube, não. Bem vindo a Elisa Ferreira, porque o clube em que ela se apoiou não me merece grande consideração. Mas percebi a sua expressão.

Um abraço

Anónimo disse...

O Rui sà foi a "muleta" do Rio no primeiro mandato (sem maioria absoluta) ???!!!

dragao vila pouca disse...

Tinha pensado quebrar as regras do blog e fazer um post sobre a Elisa Ferreira, que apoio incondicionalmente e há muito tempo. Mas ao ouvir ontem o António Vitorino, a 6 dias das eleições, babar em elogios ao Rio, será que vale a pena?

De facto há coisas que não consigo entender!

Um abraço

Rui Valente disse...

Vila Pouca,
Está a ver como não convém misturar as pessoas com os partidos? Os partidos obedecem a lógicas de interesses obscuras que o cidadão comum tem dificuldade em perceber...

Eles podem estar aos berros no Parlamento e até insultarem-se mutuamente. Quando saem da "sala de Teatro",a que eufemisticamente chamam Parlamento, perguntam: a onde é que vamos jantar hoje, pá? Lembra-se do porreiro, pá de Sócrates a Durão Barroso???

meirelesportuense disse...

Se há coisas que não compreendo é a posição do Rui Sá. Ele tem sido como disseram aqui o apoio do Rio, sempre que o Rio está em dificuldades ele avança, aliás é notório isso até nos debates, situação difícil e Rio pede: -Perguntem ao Sá!...E o Sá lá faz o seu papel que é no fundo limpar a imagem do Rio ao mesmo tempo que lhe dá uma bicada, como que a lembrar-lhe, os bons serviços prestados. Tem sido assim ao longo destes últimos anos, com pequenas diferenças, parecem o Dupont e Dupont...
Eu também não sou inscrito na Cidade mas se o fosse, em Sá não votaria, porque, repito, ele é o verdadeiro sustentáculo do Rui Rio.
Talvez a estratégia do PCP seja impedir a ascensão do PS na Cidade, se assim é, o resultado imediato e duradoiro é a manutenção da direita no Poder da Edilidade Portuense.
Bem sei que o Rio se ganhar será Presidente pela última vez, mas já estou farto de ver aquele sorriso cínico a gozar com a boa fé dos Portuenses...É insuportável, ainda por cima usa gel no cabelo...

Anónimo disse...

Sá, Rio e outros é gente que sofre de "sedução" lisboeta ???!!!

Anónimo disse...

Foi triste ver aquela romagem pelos limites da cidade com todos aqueles "velhos da Foz" a acotovelarem-se para poderem ficar na fotografia...Lindo!
Parecia que estava a ver os Marretas...Todos de cabelos fartos nos ouvidos...E lá iam percorrendo a Circunvalação sem que ninguém os visse, porque já ninguém mora na Circunvalação!
Em alguns pedaços nem sequer existe Circunvalação, não existem as Fábricas, continuam alguns casotos esventrados, paredes a cair mas as gentes não, andavam "aqueles" a mostrarem-se a quem?...Pareciam a Banda do Maestro Pinguim.

Comentário interessante do "Meirelesportuense" .

Retive os "Velhos da FOZ" .

Anónimo disse...

"GAMELAS"

Às vezes a boca foge para a verdade

Gamelas, Tachos, ou qualquer outra
benesse,é tudo igual.É aquilo que os políticos andam á procura.
Hoje o melhor emprego é ser político, e o resto é conversa.
É claro que se tem de ter bom estômago!...mas compensa.
Por isto, e por aquilo, é que eles
andam sempre com tricas uns com os
outros.Mas são todos grandes amigos
até se zangarem as comadres.

Que ganhe Elisa Ferreira; mesmo com
todas a gaffes que meteu.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO.