06 janeiro, 2009

Notas soltas (4)

1 - A Sociedade Central de Cervejas deitou foguetes e entrou em delírio. Dizem que a Sagres está na liderança do mercado total nacional, o que é "um feito histórico". Vai a ver-se e verifica-se que a liderança se resume ao período Outubro/Novembro. No ano inteiro, a Unicer continua à frente com 51,9 contra 45,5%. Gostaria que a cerveja nortenha continuasse a ganhar à sulista, mas tenho algum receio. A SCC está a fazer um fortíssimo ataque ao mercado no Norte, e dá a ideia que os novos produtos que tem lançado são mais atractivos que os da Unicer. Espero que esta empresa não se ponha a dormir, ancorada na sua superioridade de vendas nos últimos anos, e não acabe por ter um despertar doloroso. Por outro lado, a solução de ter um presidente que ao mesmo tempo continua activo na política, e que suponho que nem sequer vive permanentemente no Porto, também é capaz de não ser boa ideia.


2 - Num país que nós portugueses não consideramos de primeira linha - a Bulgária - um ex-campeão do mundo foi dois anos e meio para a prisão, por ser culpado de um acidente de viação que fez um morto. Lá é assim. Em Portugal, onde casos chocantes de atropelamento ocorrem com frequência ( só aqui no Grande Porto recordo-me de quatro casos nos últimos tempos ) os responsáveis normalmente safam-se. O pior que lhes acontece é ter uma pena suspensa. O motorista de táxi com excesso de alcool que atropelou três meninas numa passadeira, ferindo-as gravemente, continua por aí a conduzir o seu táxi. Creio que nem julgado foi ainda. Será que um dia seremos um país com uma Justiça a sério, ou temos uma herança genética que nos condiciona?

1 comentário:

Rui Valente disse...

Pires de Lima, é o actual administrador da UNICER. Deputado com raízes nortenhas, mas com residência e família em Lisboa, deixou a querida capital e subiu à província a gosto para ocupar um lugar de destaque numa empresa do Norte até ao momento muito bem gerida. Será que veio estragar o que estava feito?
Mas o que é que estes gajos estão a fazer na política?