15 outubro, 2009

Ainda há milagres?

Com o Norte (que para mim vai pelo menos até ao rio Vouga) habituado a ser espoliado dos poucos organismos oficiais - ou delegações - que aqui existem, uma notícia como aquela lida há poucos dias na imprensa, na contra-corrente da força centrípeta que tudo empurra para Lisboa, qual eucalipto gigante a secar tudo à sua volta, essa notícia, dizia eu, deixa-nos simultaneamente esperançados e cépticos. É o caso que o Estado-Maior da Força Aérea apresentou um estudo ao ministério da Defesa propondo que o denominado Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea (CFMTFA) que funciona na antiga base aérea da Ota, fosse transferido para a base da Cortegaça(Ovar). Entende a Força Aérea que teria a vantagem de maior potencial de recrutamento e que ganharia com a proximidade dos centros tecnológicos de Aveiro, Coimbra e Porto. Acresce que a FA estima que seria suficiente um investimento de apenas 70 milhões de Euros, muito menos que o necessário para reconstruir e actualizar as decrépitas e inadequadas instalações da Ota. Se pensarmos que o CFMTFA tem cerca de 900 alunos e forçosamente muitas dezenas de instrutores e pessoal dirigente e administrativo, vê-se como seria interessante para toda a região esse acréscimo de actividade económica trazida por uma "fábrica" com um milhar de empregos de raiz tecnológica.

Gostaria de pensar que os autarcas e as associações económicas do distrito, bem como os responsáveis de, pelo menos, a Universidade de Aveiro, se reunirão rapidamente para criação de um verdadeiro lobi destinado a conseguir a concretização da transferência, mas no entanto tenho uma forte suspeita de que, pelo contrário, vão ficar todos numa atitude de expectativa, a olhar para o céu a ver se cai alguma coisa.

Dada a prática habitual dos governos centralistas e sulistas que nos (des)governam, reconheço que há uma forte hipótese de o senhor ministro, embora concordando com o abandono da Ota, decida que em vista disto e mais daquilo, a transferência de efective sim, não para Ovar mas para o aeroporto de Beja ou mesmo para o do Montijo! Mesmo assim penso que é uma batalha que os interessados não têm o direito de não travar, por muito que de um governo que nos rouba milhares de milhões sob o pretexto do famigerado "efeito de difusão", tudo seja de esperar, especialmente se os espoliados não se mexem e se limitam a inócuas lamúrias depois da casa roubada. Mas... não será possível que ainda ocorram milagres?

2 comentários:

Zé Luís disse...

Bom e pertinente alerta. Não sabia de todo.

Miguel Barbot disse...

A notícia da AEP é grave de mais para não se fazer MUITO barulho.