03 fevereiro, 2009

Azelhices ministeriais

Vem hoje a Efacec (no Público) queixar-se da fraude em que o Governo PSD/CDS (2002/2005) a envolveu, com supostas contrapartidas para a nossa indústria, pela compra de submarinos e helicópteros para as forças armadas, alegando que o trabalho que desenvolveu nesse sentido durante 4 anos, foi completamente nulo.
Esta empresa nortenha diz, ter realizado 24 projectos industriais para as empresas vendedoras do equipamento militar, e que nenhum deles foi aproveitado.
As declarações do Director da Efacec Internacional, testemunham, uma vez mais , que uma boa propaganda dos governantes nem sempre são prenúncio de boas notícias. Os governantes fazem muito alarido na anunciação de projectos. Garantem mais valias, entre as quais se destaca a criação de novos postos de trabalho, que é o principal "engodo" para adormecer a populaça, mas nem sempre as cumprem.
À época deste "negócio", era então Ministro da Defesa, Paulo Portas, um homem que tem chapado no rosto a boémia da dolce vita, mas que ainda assim, chega para convencer alguns papalvos para lhe "reconhecerem" méritos de "estadista". Depois, quem se lixa são os outros (como eu) que nem lhe dariam chance para gerir um quiosque. Resultado: dos 200 milhões de euros de expectativa de negócios que a Efacec previa realizar em contrapartidas, nem um cêntimo!
Tudo isto, porque, esta gente da política nacional, a única coisa que aprendeu a fazer, foi desculpar-se daquilo que não sabe fazer, e nunca a assumir as respectivas responsabilidades. Tudo isto, porque estes governantes são incapazes de negociar de forma cuidada e firme, todas as garantias que dificultem o incumprimento dos acordos aos seus parceiros de negócio.
O responsável da Efacec diz, com toda a razão, que existe falta de visão estratégica de todos os governos. Como é possível, tanta irresponsabilidade, e continuarmos a ver estes meninos a pavonearem-se nos corredores do Poder e darem pareceres na Assembleia da República? O crime, de facto, compensa! Permitir a livre circulação a estes pardais, é um atentado à Democracia.
Dizia há dias o escritor portuense Mário Cláudio que: a Democracia está doente. Eu digo que está morta. Que nasça outra. Depressa.

1 comentário:

dragao vila pouca disse...

Mas quem manda a Efacec acreditar no Estadista???????????? do Paulo Portas?
Um abraço