22 julho, 2008

Rui Moreira

Muito refrescante a entrevista de Rui Moreira na edição de ontem do “Sol”.
Tantas vezes acusado de “excesso de disponibilidade” e de se colocar acima da instituição a que preside, Rui Moreira mostrou que o que verdadeiramente não lhe falta é frontalidade e sentido de serviço perante a sua região e o País.Depois do “mea culpa” feito acerca da posição no último referendo de regionalização (hoje tal como eu, concorda que pior do que uma má regionalização, só mesmo não haver nenhuma), Rui Moreira faz severas críticas ao sistema político e à forma como não tem sabido integrar o Porto e o Norte num projecto e desígnio de um Portugal europeu.
No que se refere aos investimentos públicos Rui Moreira põe o dedo na ferida da crise, para justificar (e bem!) a insistência na alternativa “Portela mais um” e desmistificar a necessidade da ligação ferroviária Lisboa-Madrid por TGV.
Para não falar deste “novo-riquismo” de continuar a expandir a sumptuosa rede rodoviária que já hoje temos, num País onde existem cada vez mais pessoas no limiar da indigência.Enfim, com coragem e racionalidade, Rui Moreira falou da “portofia”, essa doença de sobranceria e arrogância, que os construtores da capital cortesã têm perante o resto do País, a que chamam desdenhosamente de província.
O ponto mais alto desse referencial provinciano é o Porto e os portuenses.Por isso só nos resta, como diz Rui Moreira, resistir - ser uma espécie de gauleses que se sentem obrigados a defender, com bravura, o seu terreiro e as suas tradições.(...)

*(Esqueçamos o "azar", de ser benfiquista)

7 comentários:

dragao vila pouca disse...

Alguem me pode dizer onde encontrar, sem ter de comprar o Sol, a entrevista?
É que já me tinham falado nela e eu fiquei cheio de vontade de a ler.
Abraço

Rui Valente disse...

Pesquisei no Sol essa entrevista de Rui Moreira, mas não a encontrei. Paciência...

Abraço

Anónimo disse...

Conheço o Rui desde o liceu Garcia d'Orta, onde fui sua colega. Sempre foi diferente. Um cavalheiro antes do tempo. Lembra-me muito o Francisco Sá Carneiro, meu primo.
A entrevista dele ao SOL +e um raio de luz. De alguém que, no fundo, não quer nada. Por isso, +e incompreendido. Por ele tenho todo o respeito do mundo.

Francisca L C P

Rui Valente disse...

Cara Francisca,

Estou convicto que não há ninguém no Porto (e até fora dele)que não reconheça no Rui Moreira as qualidades que refere. O problema não está nele, está nos seus adversários políticos e clubísticos que não "entendem" o seu estilo cordial e contemporizador. Trata-os de "amigos". Eles agradecem, mas não retribuem. Não podem nem sabem.
Os seus interesses estão primeiro e um dia destes (não se admire), fazem-lhe o mesmo que estão a fazer a Pinto da Costa. Não precisam de pretextos, basta inventá-los. A comunicação social faz o resto.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.